Banco Light

Conheça as oportunidades e desafios das novas modalidades de Instituição Financeira

A evolução das tecnologias voltadas ao setor financeiro tem causado grandes mudanças nas transações de pessoas e empresas. Com a proposta de oferecer serviços mais rápidos, transparentes e econômicos, as Fintechs têm sido o maior desafio dos bancos tradicionais nos últimos anos. E se a falta de regulamentação era, de certa forma, um impeditivo para o crescimento da atuação dessas startups, agora o cenário mudou.

Isso porque desde 26 de abril de 2018, as atividades das empresas de tecnologia que realizam serviços financeiros foram regulamentadas pelo Banco Central, por meio da Resolução n° 4.656, do Conselho Monetário Nacional (CMN). Tal determinação impacta diretamente duas modalidades de Fintech, que agora precisarão se adequar a este ambiente regulado: Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP) e Sociedade de Crédito Direto (SCD), com o objetivo de disciplinar a realização de operações de empréstimo e de financiamento entre pessoas por meio de plataforma eletrônica, entre outras coisas, a resolução traz requisitos e procedimentos que devem ser observados.

Como era antes?

Antes da resolução, as operações abordadas nela eram realizadas apenas por instituições financeiras.

O que muda na prática?

De acordo com as novas regras divulgadas pelo Banco Central, as operações mencionadas na resolução passam a ser realizadas por novos participantes no mercado, exclusivamente por meio eletrônica, desburocratizando o acesso ao crédito, facilitando e agilizando os processos, além de otimizar custos operacionais às instituições.

A partir da data de publicação, as fintechs podem manter as contas de pagamento para seus clientes e utilizar recursos próprios em transações de crédito, tudo sendo realizado por meio de plataforma eletrônica.

Quais os principais benefícios da regulamentação?

Com essa nova regulamentação, o CMN, por meio do Banco Central, busca fomentar a oferta de crédito no país, reduzindo os juros praticados nas operações de empréstimos e a burocracia na aproximação entre credores e devedores.

Além disso, a resolução traz incentivos à inovação e aumento de competitividade. Certamente, trata-se de uma revolução no mercado de crédito brasileiro.

Quais são os desafios a serem superados?

Mesmo com a regulamentação aguardada pelo setor, essa divisão na atuação em SEP e SCD revela, ainda, desafios a serem superados e novas abordagens no mercado.

 

 

Quer saber mais sobre esta recente norma?

Entre em contato com a Grant Thornton. Nossa equipe de profissionais pode auxiliar a sua instituição a se adequar aos novos requisitos do mercado. 

Tem dúvidas?
Fale com nossa equipe de especialistas em Serviços Financeiros Entre em contato

Veja também