Artigo

Quais skills de liderança são essenciais para crescer em novos mercados?

Quando as empresas mudam de organizações nacionais para internacionais e multinacionais, não é apenas a estrutura dos negócios que está sob pressão. As pessoas que ocupam cargos de liderança devem se adaptar e reforçar suas competências para enfrentar novos desafios. Seja lidando com equipes em vários locais, gerenciando questões transculturais ou sustentando o crescimento em novos territórios, os líderes enfrentam pressões mais significativas quando se tornam globais.

De acordo com resultados obtidos no International Business Report (IBR) da Grant Thornton, 57% dos líderes empresariais acreditam que a mentalidade que eles trazem para esse desafio determinará seu sucesso. Confira o que os nossos consultores têm a dizer sobre as habilidades necessárias para lidar diante desse cenário:  

Skills de liderança
1. Reforçar suas habilidades de comunicação

Antes de expandir internacionalmente, os líderes precisam comunicar claramente sua visão e estratégia de crescimento aos funcionários e investidores. Uma vez estabelecido em um novo território, conquistar novas equipes, parceiros e clientes locais também é fundamental.

Stephen Murray.PNGStephen Murray, líder de Auditoria e Consultoria, Grant Thornton Irlanda:

Fortes habilidades de comunicação são imperativas como líderes globais. Na Grant Thornton, solicitamos aos principais representantes de todas as empresas membros locais que articulem claramente as capacidades e linhas de serviço de cada empresa. A comunicação forte ajuda muito as firmas-membro locais a advogar por clientes existentes e em potencial para utilizar os serviços de outras firmas globais.

Acredito que a chave para as comunicações globais é entender as diferenças de idioma e cultura em outros países, pois isso pode ajudar a eliminar as lacunas de comunicação.

Como líderes, é importante nos familiarizarmos com os costumes comerciais de outros países e conhecer nosso público. Deveríamos flexibilizar nosso estilo de comunicação quando nos correspondermos com outros países para facilitar a comunicação em nível global.

Pallavi Talavlikar.pngPallavi Talavlikar, diretora IBC, Grant Thornton Índia:

Acredito que a qualidade mais crítica para tornar global um negócio é a comunicação. Se eu tiver que me tornar global como líder, preciso entender a visão da empresa e ser capaz de comunicar isso bem à empresa com a qual estarei em contato, enquanto entendo seus requisitos para que seja uma vitória para ambos os lados.

2. Ter disposição para correr riscos

Muitas vezes, o medo de perder um mercado inexplorado ou um potencial novo fluxo de receita é suficiente para levar os líderes a deixar sua zona de conforto e buscar a expansão internacional. Os líderes de sucesso assumem riscos para capitalizar o potencial não realizado.

Sridhar R Chennai.pngSridhar Ramachandran, sócio de Tributos, Grant Thornton Índia:

Tudo é um risco. Até o que você está fazendo atualmente é um risco. Tenho certeza de que há centenas de pessoas tentando atrapalhar ou fazer a mesma coisa de maneira diferente. Portanto, se você não estiver à frente da curva e se não for diferenciado, ficará obsoleto em algum momento.

O apetite por correr esse risco é essencial e, se você não correr o risco, provavelmente não estaria no negócio em primeiro lugar. Também é um risco não começar a negociar ou fazer negócios internacionalmente.

Luciano Centanni.PNGLuciano Centanni, diretor IBC, Grant Thornton EUA:

Uma das qualidades de liderança que acho mais importante é a disposição e a confiança para assumir riscos calculados. Muitas vezes, as empresas são limitadas e ansiosas quando se trata de expandir suas operações. Eu acho que é realmente importante que as equipes de gerenciamento avaliem seu conhecimento de operação em um país específico e busquem suporte de consultores de negócios confiáveis.

3. Manter uma perspectiva global

Além da disposição geral de explorar as oportunidades de mercados existentes, a compreensão do contexto global mais amplo é inestimável para analisar possíveis riscos e oportunidades que possam vir de outros lugares.

Panagiotis Christopoulos.PNGPanagiotis Christopoulos, diretor IBC, Grant Thornton Grécia:

Desenvolver uma perspectiva global em liderança pode ser uma vantagem competitiva definitiva no futuro dos negócios. Uma mentalidade aberta a desenvolvimentos em nível global pode expor os líderes a novas ideias e ampliar seus horizontes.

Isso pode aumentar a conscientização dos líderes sobre pontos cegos pessoais, desenvolvimentos e oportunidades globais e fazê-los trabalhar intensamente para garantir a meritocracia, a diversidade e a inclusão".

Stephen Murray.PNGStephen Murray, líder de Auditoria e Consultoria, Grant Thornton Irlanda:

Dentro de nossa própria rede global, existem muitos mecanismos para construir um entendimento abrangente e desenvolver contatos internacionais fortes e pessoais, o que facilita muito as discussões globais.

Ser um participante ativo da nossa rede International Business Center (IBC) é um aspecto fundamental da obtenção de uma perspectiva global – fornecendo insights sobre outros mercados globais e conselhos práticos de negócios para exportação. Participação em conferências globais, reuniões mensais de colaboração e participação em comitês de direção globais são fóruns poderosos para aprimorar seu conhecimento.

O forte conhecimento das capacidades da rede global certamente facilita a identificação de oportunidades internacionais em nossa base de clientes local existente e, também, com clientes em potencial.

4. Conhecer sua equipe de liderança

Onde os líderes individuais não têm experiência internacional, uma das principais prioridades é encontrar indivíduos com o conhecimento e o insight do crescimento global anterior. Enquanto isso, os próprios líderes devem se comprometer com os territórios para onde estão indo e se familiarizar com eles rapidamente.

Panagiotis Christopoulos.PNGPanagiotis Christopoulos, sócio da área de setor público, Grant Thornton Grécia:

As empresas em mercados de rápido crescimento sabem que sua expansão internacional depende da experiência global. Preencha os cargos de liderança com candidatos que tenham experiência fora de seus mercados domésticos.

A participação de líderes em projetos internacionais é indispensável na aquisição de conhecimento global. Isso, por sua vez, sugere que os processos pelos quais os líderes locais de alto potencial são desenvolvidos e as designações internacionais sejam distribuídas devem ser integrados. Outras práticas incluem alinhar as metas de carreira dos indivíduos com as estratégias gerais de negócios e investir em plataformas internacionais de aprendizagem.

5. Aprender sobre o mercado local

Um interesse e respeito por outras culturas e comportamentos ajudarão os líderes a construir relacionamentos com os principais interessados ​​e, finalmente, o mercado.

Sridhar R Chennai.pngSridhar Ramachandran, sócio de Tributos, Grant Thornton Índia:

Você deve estar aberto para entender o que a outra pessoa precisa. Essa abordagem humilde é um elemento essencial para, pelo menos, compreender o que é e o que não é possível.

Quando você decide se busca ou não uma oportunidade específica, precisa ser capaz de falar o idioma desse cliente e ser o mais acessível possível. Se você olhar culturalmente, é fundamental a capacidade de falar esses idiomas, bem como a capacidade de se conectar com essa pessoa.

Melanie Frean.pngMelanie Frean, diretora IBC, Grant Thornton Reino Unido:

Algo realmente importante é ter consciência cultural. Quando você lidera equipes e trabalha com colegas no exterior, entende não apenas o que é importante em seu mercado e sua empresa, mas também como as pessoas fazem negócios no exterior, porque será diferente em todo o mundo.

Se você pode reconhecer isso, aprender sobre isso e compartilhar com seus colegas, acho que será realmente a chave para construir esses relacionamentos, liderar equipes e fazer mais negócios no exterior.

6. Cultivar curiosidade e humildade

Líderes eficazes exercem humildade e estão abertos a conselhos. Eles devem estar abertos ao fato de que talvez ainda não conheçam o suficiente e precisem buscar mais insights, conselhos e experiência.

Héctor Bautista.PNGHéctor Bautista, diretor IBC, Grant Thornton México:

Os melhores líderes são aqueles que reconhecem que não sabem tudo. Eles precisam estar cercados pelas pessoas mais talentosas em diferentes áreas para tomar as melhores decisões possíveis. Em outras palavras, seja um bom ouvinte.

Outra característica que eles precisam mostrar é a humildade. Como um líder age é fundamental. Esteja pronto para fazer o trabalho duro sempre que necessário e dê o reconhecimento adequado a toda a equipe.

7. Antecipar problemas com antecedência

Realisticamente, não se pode esperar que os líderes conheçam todos os detalhes minuciosos de todos os aspectos de sua expansão internacional. Mas eles precisam garantir que seus gerentes estejam atualizados sobre as especificidades de sua área, compartilhem preocupações para que seja possível antecipar desafios futuros.

María de los Angeles Rivera.PNGMaria de los A. Rivera, diretora IBC, Kevane Grant Thornton Porto Rico:

Frequentemente, encontramos situações em que os líderes ficam frustrados com os muitos 'obstáculos' que precisam vencer para iniciar suas operações em nossa jurisdição.

Geralmente, a pesquisa sobre o novo mercado é feita internamente pelos departamentos de vendas ou marketing que estão ansiosos para fechar o negócio, sem muito envolvimento de outros atores importantes da organização.

Muitas vezes, é somente quando a empresa já está negociando que eles percebem as etapas que perderam e as consequências subsequentes, que tendem a envolver custos adicionais aos inicialmente considerados.

Ao considerar entrar em novos mercados, é de extrema importância entrar em contato com especialistas locais para obter uma imagem completa do que isso implica em começar. Sempre será dinheiro bem investido.

8. Equilibrar resistência com adaptabilidade

Os líderes devem estar preparados para enfrentar os desafios envolvidos em alcançar com êxito novos mercados e não cair no primeiro recuo. Ao mesmo tempo, os líderes precisam saber quando adaptar sua abordagem para atingir seus objetivos.

Gabriele Labombarda.PNGGabriele Labombarda, sócio e diretor IBC, Bernoni Grant Thornton Itália:

A expansão de um negócio internacionalmente exige um planejamento preciso e uma compreensão clara das peculiaridades do mercado-alvo. Em um mundo em constante mudança, as coisas geralmente saem do plano.

Quando você demonstra que não está apegado à uma maneira de fazer as coisas, liberta as pessoas a utilizar seus pontos fortes para encontrar soluções.

Uma abordagem de mente aberta, combinada com uma sólida formação técnica, uma ampla rede de relacionamentos e uma verdadeira paixão pela solução de problemas, suporta flexibilidade e rapidez no que é necessário para alcançar resultados efetivos e oferecer qualidade aos nossos clientes.

Héctor Bautista.PNGHéctor Bautista, diretor IBC, Grant Thornton México:

Ter o equilíbrio certo de determinação e criatividade é muito importante no crescimento internacional. Às vezes, você pode encontrar contratempos ao trabalhar em compromissos internacionais. Você precisa encontrar maneiras de resolver problemas de forma criativa.

Entenda a cultura e os costumes das pessoas envolvidas no projeto e incentive-as a perseverar para alcançar a meta. Você também precisa mostrar determinação, apoiar a equipe de muitas maneiras diferentes, fazer os movimentos certos e ser responsável em todos os aspectos.

Linda Karlsson.PNGLinda Karlsson, sócia de Consultoria e diretora IBC, Grant Thornton Suécia:

Na minha experiência, uma das qualidades mais importantes para ter sucesso nos negócios internacionais é equilibrar sua ideia e objetivos comerciais iniciais, enquanto se adapta a diferentes situações, mercados, culturas comerciais, comportamentos, desafios e oportunidades.

Uma coisa é certa quando você vai além do mercado local: as coisas não funcionarão da mesma maneira e sua empresa precisará se adaptar às novas circunstâncias para ter sucesso.

9. Manter o foco no longo prazo

As empresas de sucesso sabem que leva algum tempo para colher recompensas quando se expandem para os mercados internacionais. Os líderes exigem disciplina para manter o curso e não se distrair com projetos que não suportam a estratégia de negócios.

T_Braun.pngTimothy Braun, sócio de Auditoria e Consultoria, Grant Thornton Singapura:

É importante ter uma visão apropriada de onde levar o negócio. Em Singapura e no sudeste da Ásia em geral, existem tantas oportunidades que você precisa se concentrar muito na visão da empresa para garantir que está tomando as decisões corretas.

Quando você olha para outros mercados mais saturados, onde as oportunidades são mais limitadas, geralmente trata-se de fazer as coisas de maneira um pouco diferente ou de estar no lugar certo na hora certa. Aqui as coisas estão mudando em um ritmo tão rápido que você precisa de um foco e visão de longo prazo para garantir que você esteja aproveitando essas oportunidades, mas também sendo muito estratégico.

Vemos algumas empresas que entram e tentam obter ganhos de curto prazo durante a noite: mas essas são organizações que raramente obtêm sucesso".

Carl Williams.pngCarl Williams, sócio-gerente da North West, Grant Thornton Reino Unido:

Trata-se de autenticidade, paixão e foco incansável na execução. Os principais empresários com quem falei têm foco absoluto e muita paixão pelo que fazem.

 

Sonia Lenzi.PNGSonia Lenzi, diretora IBC, Ria Grant Thornton Itália

A atitude mais crítica para os líderes trabalharem globalmente é ter energia, visão, ambição, ousadia e sonhar alto.

10. Valorizar as pessoas

A capacidade de alcançar novos clientes e construir reputação em novos destinos é frequentemente precedida pelo envolvimento das pessoas que você traz para seus negócios. Tratar a equipe com respeito e igualdade se reflete na maneira como as partes externas percebem seus negócios.

Hisham Farouk.PNGHisham Farouk, CEO Grant Thornton Emirados Árabes:

De uma perspectiva pessoal, e acho que os melhores líderes também têm essa visão, de que as pessoas dirigem negócios e devem sempre vir em primeiro lugar. Não se trata apenas de criar seus negócios com as pessoas, também é importante que você inclua e trate todos igualmente.

Esta é uma das lições fascinantes que você aprende quando mora em Dubai: quando você está lidando com tantas nacionalidades e culturas diversas, pode se perder nas nuances, mas de um modo geral todo mundo geralmente entende e fica feliz em explicar as nuances quando necessário , para que você realmente fique mais bem informado e tenha uma maior valorização e respeito por outras culturas.

Se você tratar todos com esse senso de sinceridade e igualdade, independentemente de gênero e etnia, você perceberá que todos se elevam acima de suas diferenças culturais e todos operam nesse nível. E é por isso que Dubai funciona tão bem e é um dos mais destinos populares.

11. Ouvir seus clientes

Por fim, os líderes precisam ouvir seus clientes, tanto no mercado interno quanto no internacional. Somente conversando com os clientes desde o início, obtendo suas percepções, desejos e medos é que você pode determinar um produto ou serviço adequado a eles. Somente continuando a ouvi-los, você pode adaptar sua proposta e sustentar seus negócios ao longo do tempo.

A_Howie.pngAndrew Howie, diretor IBC, Grant Thornton Reino Unido:

Para mim, a qualidade mais crítica que um líder precisa ter em termos de se tornar global e ajudar os clientes a se tornarem globais é ouvir os clientes.

É simples assim, porque se entendermos quais são as prioridades de nossos clientes e fizermos disso nossa prioridade, poderemos ajudar nossos clientes a alcançar o que desejam alcançar.

 

Como a Grant Thornton pode auxiliar a sua empresa?

Nossos consultores possuem formação multidisciplinar e podem assessorar na potencialização das skills de liderança nas suas equipes.

Entre em contato conosco