Existem pequenos momentos e grandes momentos em qualquer recuperação, e 2021 marca um grande momento na recuperação do mid-market global. Pela primeira vez desde o início da pandemia, o índice global da Grant Thornton que mede a saúde do mercado intermediário retornou a patamares positivos. Esta é uma grande conquista deste importante segmento da economia e, dada a forte correlação com a variação do PIB real, aponta para uma recuperação econômica mais ampla. No entanto, o índice revela uma "crise de oferta" que ameaça pesar sobre a recuperação, a menos que as empresas possam negociar os desafios futuros.

Francesca Lagerberg.pngFrancesca Lagerberg, líder global de Network Capabilities da Grant Thornton International Ltd. comenta que “os programas de vacinação estão dando confiança às empresas e esse otimismo parece certo. Ainda será um caminho desafiador pela frente, mas espero que agora possamos começar a viver com Covid, com a economia parecendo estável e consistente, porque é quando os negócios do mercado intermediário podem realmente prosperar.”

 

 

Em um nível global, o índice de Global Business Pulse aumentou de -3,6 no segundo semestre de 2020 para 0,2 no primeiro semestre de 2021, refletindo um retorno à saúde ligeiramente positiva. Esse movimento foi sustentado por melhorias em 24 dos 29 países e em todas as regiões, exceto uma: a América do Norte permaneceu estável, mas com saúde positiva. Houve também melhorias gerais em todos os setores, embora a desigualdade na recuperação observada no início da pandemia permaneça.

O resultado mais recente do índice fornece uma visão oportuna sobre a saúde das empresas de médio porte, pois trata-se de uma das pesquisas de negócios mais abrangentes desse tipo e, com base em entrevistas com cerca de 5.000 líderes de mercado intermediário entre maio e junho de 2021, a pontuação resultante é uma medida da saúde comercial positiva ou negativa (metodologia Global Business Pulse). As seções abaixo fornecem o relatório de saúde completo para o mid-market global, e você também pode acessar mais detalhes do índice para as regiões da América Latina, América do Norte, UE, Ásia-Pacífico e ASEAN, e um resumo do desempenho da indústria.

Destaques do Global Business Pulse

Perspectiva de recuperação impulsiona a saúde do mid-market

A perspectiva de recuperação está mais forte entre as empresas de médio porte. Mais de dois terços dessas empresas agora estão se sentindo um pouco ou muito otimistas em relação às suas próprias economias. Isso representa 22 pontos percentuais (pp) maior do que os níveis observados no segundo semestre de 2020 e agora até bem acima dos níveis pré-Covid. A perspectiva melhorada está de acordo com a previsão do Banco Mundial de um crescimento de 5,6% na economia mundial em 2021 e o que denomina "seu ritmo pós-recessão mais forte em 80 anos".

As lideranças também se sentem muito mais otimistas quanto às perspectivas de seus próprios negócios. As expectativas de crescimento de receita e lucro aumentaram 12 pontos percentuais (pp) no primeiro semestre de 2021 em comparação com a última onda de pesquisas. 57% agora esperam aumentar a receita nos próximos 12 meses e 56% esperam aumentar os lucros. Ambos os indicadores estão se aproximando de níveis não vistos desde 2018, impactados até certo ponto por comparações mais baixas durante a pandemia.

Mike Ward.PNGMike Ward, líder global de Consultoria da Grant Thornton International Ltd., diz que essa recuperação relativamente rápida oferece uma vantagem de pioneiro. “Seu objetivo em qualquer recessão é tentar não cair muito profundamente. Encontre o chão, corra pelo chão, alcance o outro lado e saia antes de todo mundo, porque você consegue pegar primeiro os recursos”.

Restrição de oferta iminente, com desafios de acesso a financiamento e talentos

A primeira tomada de recursos é particularmente importante, dado que o mercado de médio porte está enfrentando uma crise de oferta iminente. Nosso índice considera as perspectivas e as restrições para obter uma visão completa da saúde dos negócios. Do lado das restrições, as relacionadas à oferta são elevadas em diversas áreas, incluindo acesso a financiamento, disponibilidade de mão de obra qualificada, regulamentação e burocracia.

A preocupação com finanças é algo que comentamos no passado, mas se tornou ainda mais problemática agora, com 51% citando como uma restrição importante. O mercado de médio porte depende principalmente de financiamento bancário e, em alguns países, tem havido uma redução na oferta de crédito devido a dívidas elevadas ​​e à crescente aversão ao risco. Francesca também aponta que “a maioria dos países que tinham programas de licença ou incentivo estão retirando-os ou reduzindo-os, o que têm servido como a salvação para muitas empresas”.

Atualmente, as empresas também estão enfrentando desafios em busca de talentos, com quase 60% das lideranças destacando preocupações sobre a disponibilidade de mão de obra qualificada. Essa escassez é agravada pela recuperação econômica e pelo aumento da competição por profissionais, e se mostra em outros indicadores, como preocupações elevadas com custos de mão de obra e maiores aumentos salariais esperados.

A Grant Thornton sugeriu uma série de estratégias para lidar com esse problema, indicando considerar as pessoas em primeiro lugar na agenda do negócio. Mike diz que um número crescente de clientes da Grant Thornton nos Estados Unidos está procurando fontes alternativas de mão de obra. Eles estão adotando a contratação remota e trabalhando para ampliar o pool de talentos – tendo feito isso com sucesso durante toda a pandemia.

Para ampliar ainda mais esse grupo, Francesca enfatiza a importância da diversidade e da liderança inclusiva. As mudanças nas práticas de trabalho e os desenvolvimentos em tecnologia impulsionados pela pandemia trazem inúmeras oportunidades para as empresas. Mas para maximizar o potencial desse novo cenário, as lideranças precisam ser interculturais, conectadas e empáticas. Sabemos que, em resposta à Covid-19, 45% das empresas em todo o mundo promoveram o equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal e a flexibilidade para impulsionar o envolvimento e a inclusão dos colaboradores, e 37% instigaram novas práticas de trabalho para engajar melhor todas as pessoas.

A crise de oferta provavelmente não permitirá o retorno do índice em patamares anteriores, mas influenciará em melhorias adicionais e os líderes da empresa devem lidar com essas questões agora para evitar qualquer desaceleração – e obter os primeiros recursos.

Robert Hannah.png

“Eles devem assumir o controle das coisas que podem controlar”, aconselha Robert Hannah, líder de Consultoria da Grant Thornton Reino Unido e Diretor Executivo – Apoio a Negócios Internacionais da Grant Thornton International e líder de Consultoria da Grant Thornton UK.

Riscos inflacionários

É importante enfatizar que as restrições de oferta aumentam significativamente o risco de inflação. Nos EUA, por exemplo, a inflação de junho atingiu 5,4%, registrando seu maior salto desde 2008, com gargalos na cadeia de abastecimento citados entre as causas. Para muitas empresas, este será um novo inimigo e pode ser perigoso.

A inflação pode reduzir a lucratividade e, principalmente, precisa ser combatida por meio de aumentos no preço de venda (externamente) e melhorias de produtividade (internamente). Mas também traz a perspectiva de taxas de juros mais altas para controlar a inflação, o que pode desacelerar drasticamente a demanda e elevar os custos de empréstimos.

“Você aprende a lidar com a inflação sendo mais eficiente”, diz Robert. “Descobrir o quanto você pode passar adiante e como se tornar mais eficiente – o uso da tecnologia é fundamental nesse sentido. Priorize investimentos que o tornem mais eficiente e tenha cuidado com os níveis de dívida, talvez tentando gerenciá-los para baixo.”

Corrida para os mercados internacionais

A Grant Thornton acompanhou mudanças extraordinárias nas atitudes em relação à internacionalização durante o curso desta crise. Desde o retorno aos mercados domésticos durante os primeiros dias, ao retorno promissor aos mercados internacionais. Recentemente, analisamos as oportunidades de clientes e concorrentes internacionalmente e concluímos que existe uma oportunidade única para as empresas crescerem internacionalmente.

No primeiro semestre de 2021 foi possível verificar uma grande quantidade de empresas que buscam crescer internacionalmente, uma tendência que exploraremos mais a fundo nos próximos insights. Cerca de 45% de todas as empresas de médio porte esperam aumentar as exportações nos próximos 12 meses, o que representa 11 pp acima do registrado no segundo semestre de 2020 e o nível mais alto na década de resultados do International Business Report (IBR). Para apoiar este crescimento, 39% das empresas estão agora dedicando uma proporção maior de funcionários ao atendimento de mercados internacionais do que aos mercados domésticos.

A expansão das vendas para o exterior não se trata apenas de uma recuperação dos mercados existentes, mas também da expansão de empresas para novos mercados. 43% das empresas estão prevendo um aumento no número de países para os quais venderão no próximo ano – é quase o dobro do nível visto durante o auge da pandemia.

Global snapshot

Confira mais insights:
Agenda de sustentabilidade influenciando as perspectivas e restrições

O padrão que analisamos em uma década de resultados do índice é que a perspectiva e as restrições geralmente se movem na mesma direção – conforme uma melhora, o mesmo acontece com a outra e vice-versa. No primeiro semestre de 2021 identificamos o oposto acontecendo. Embora as perspectivas tenham melhorado, as restrições pioraram.

Felizmente, a melhoria nas perspectivas de 46,2 para 56,7 mais do que compensou a deterioração observada no lado das restrições – que passou de -53,4 para -56,3. Como resultado, o índice geral subiu. O comportamento mais tradicional é visto no movimento de otimismo econômico (parte das perspectivas) e incerteza econômica (parte das restrições), com ambas melhorando ao mesmo tempo, mas o otimismo com maior potencial.

Do lado das restrições, e a menos de 100 dias da COP26, a implementação de novos requisitos em torno da sustentabilidade certamente está aumentando a burocracia e as regulamentações que as empresas estão enfrentando. Nossa equipe de liderança, no entanto, enfatiza a importância de ver os aspectos positivos inerentes à sustentabilidade e transformar os "requisitos" em oportunidades para melhorar a eficiência e a diferenciação.

Muitas empresas de médio porte já identificam a sustentabilidade como um catalisador potencial para o crescimento, o que ajudará a melhorar as perspectivas para as empresas de médio porte. Nossa pesquisa direcionada à sustentabilidade no ano passado descobriu que 48% de todas as empresas de médio porte acreditam que a sustentabilidade terá um impacto financeiro líquido positivo em seus negócios. E escolhas populares para benefícios de negócios associados são ‘melhorar a eficiência operacional e reduzir custos’ (selecionado por 47%), ‘atender às expectativas ou demandas dos clientes’ (45%) e ‘atrair engajamento e retenção de profissionais’ (42%).

Empresas priorizam o investimento para combater as restrições em supply chain

É satisfatório verificar três grandes resultados nos elementos da perspectiva: condições de negócios, otimismo econômico e intenções de investimento. As condições de negócios abrangem as expectativas de crescimento da receita e do lucro, bem como as mudanças esperadas nos preços de venda e exportações, um verdadeiro ponto positivo.

As intenções de investimento mais altas são particularmente encorajadoras, e as duas áreas em que as empresas estão concentrando a maior parte de seu potencial são na produtividade e no pessoal. Do lado da produtividade, cerca de 59% das empresas afirmam que planejam aumentar os investimentos em tecnologia nos próximos 12 meses, 56% em qualificação de pessoal e 53% em pesquisa e desenvolvimento.

Francesca analisa o aspecto da tecnologia: “muitas pessoas viram o valor dos investimentos em tecnologia nos últimos 18 meses. As incógnitas remanescentes significam que elas não vão assumir grandes riscos e continuar a investir em coisas que lhes darão um retorno de curto ou médio prazo.” Conforme já mencionado, os investimentos nesta área também serão importantes para conter os riscos de inflação.

A segunda área de prioridade de investimento está ligada aos desafios na busca por talentos. As expectativas de emprego para os próximos 12 meses são as mais altas já registradas, com 48% das empresas buscando contratar mais profissionais. As empresas também estão investindo em salários, com 26% esperando oferecer aumentos salariais acima da inflação nos próximos 12 meses.

Francesca adverte que investir recursos financeiros nesse problema raramente é a resposta. Ela observa que agora é o momento em que as empresas que têm sido boas com seu pessoal colherão os frutos, e as empresas inteligentes estão realmente pensando em novas maneiras de trabalhar e tirar o melhor da pandemia.

Lideranças do mid-market identificam burocracia

Conforme mencionado, as restrições de oferta causaram o maior impacto nas restrições ao longo do período. Uma restrição de oferta que excepcionalmente não é definida por oferta insuficiente, mas oferta excessiva, é a regulamentação e a burocracia.

A porcentagem de empresas que identificam isso como uma restrição é de 8 pp para 57% globalmente. Isso é parcialmente explicado pelos novos regulamentos e requisitos em torno da sustentabilidade, mas, mais fundamentalmente, também é provável devido às restrições, incentivos e tributação em constante mudança devido à Covid-19. Embora algumas dessas restrições diminuam com o tempo, é provável que os tributos se tornem mais austeros e complexos à medida que os governos tentam sustentar suas finanças, tendo elevado os gastos durante a pandemia.

Outro fator que contribuirá para a carga regulatória é a entrada em grande escala e a expansão em novas geografias destacadas acima. Cada novo destino de exportação traz novos regulamentos. Para ajudar a conter a maré de burocracias, Robert incentiva as empresas a mobilizar suas associações comerciais para fazer lobby pela padronização de requisitos além-fronteiras, o que pode fazer uma diferença real. A Grant Thornton também pode auxiliar nesse processo para aliviar o fardo da regulamentação e da burocracia nos negócios.

Dados e insights anteriores

Global Business Pulse | 2° sem. 2020

Negócios demonstram otimismo moderado para o novo ano

Acesse Global Business Pulse | 2° sem. 2020

Global Business Pulse | 1° sem. 2020

O impacto da Covid-19 no middle-market está revelado

Acesse Global Business Pulse | 1° sem. 2020