ESTADÃO

Como será seu trabalho depois da pandemia?

“Estamos vivenciando um processo de transformação cultural”, diz Ronaldo Loyola, sócio da área de capital humano da Grant Thornton. “A grande maioria das pessoas sente falta dessa conexão pessoal, do olho a olho. Por mais que tenha tecnologia, não tem o toque, não tem o abraço.”

Passar mais tempo com a família, desenvolver novas habilidades, resgatar hobbies antigos, economizar. Estes são alguns dos fatores que fazem com que 54% dos brasileiros pensem em propor aos seus gestores o equilíbrio entre o trabalho remoto e presencial pós-pandemia. Os dados são resultado de pesquisa realizada pelo professor Fabian Salum, da Fundação Dom Cabral, com apoio da consultoria Grant Thornton.

Confira a matéria completa →