insight featured image
Após mais de um ano enfrentando o cenário de pandemia, a indústria hoteleira ainda segue lidando com ocupação reduzida como resultado de restrições de viagens, lockdowns e uma transformação nas rotinas profissionais em direção ao trabalho remoto.

Mesmo que algumas regiões globais comecem a apresentar sinais mais consistentes de recuperação da crise, os hoteleiros enfrentam uma longa e desafiadora recuperação. No Brasil a percepção é de uma retomada gradual das operações.

Hugo Luna (1).pngNa visão de Hugo Luna, sócio de Transações da Grant Thornton Brasil, o setor de hotelaria no Brasil desde o último trimestre de 2020 já demonstrava sinais de retomada com perspectivas de crescimento contínuo, e contribuído também pelo resultado de janeiro de 2021. Porém, com o retorno dos altos índices de casos de Covid-19, toda expectativa de retomada constante foi frustrada. “Enquanto não houver índices relevantes de imunizações pela vacinação não haverá um ambiente econômico de retomada sustentável”, afirma.   

De acordo com um estudo do FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), no acumulado de  janeiro a março de 2021 houve queda de -38,9% na taxa de ocupação  em relação ao mesmo período do ano passado, com destaque para as regiões Centro-Oeste (-23%) e Sul (-43,6%).

Após um ano de crise, todo o aprendizado adquirido pelos gestores do setor de hotelaria é um aspecto importante para o processo gradual de retomada. "Para a sustentabilidade do setor é essencial considerar medidas como gestão na escassez, novas formas de operar, novos acordos e negociações com o stakeholders do setor e planejamento de curto prazo (trimestral até semestral, não mais anual). Além disso, espera-se que com o aumento do número de vacinação em massa no segundo semestre, tenhamos um cenário mais assertivo de retomada constante nos índices de ocupação”, avalia Luna.

Perspectiva global

Quais são os desafios específicos com os quais a indústria hoteleira global está lidando? A Grant Thornton elaborou um relatório completo analisando os aspectos mais relevantes que foram ou devem ser endereçadas pelo setor nesse processo estratégico de retomada do crescimento sustentável dos negócios.

Liquidez

Existem diversos fatores que dificultam a previsão do fluxo de caixa no ambiente atual. Por exemplo, o impacto sobre a liquidez à medida que os lockdowns e as restrições de viagens

sejam suspensas ainda não está claro. Podemos ter um período de demanda reprimida enquanto os consumidores cautelosos se mantêm isolados. É provável que a ocupação relativa a negócios fique para trás em relação à ocupação de lazer, já que as empresas podem decidir a continuar limitando as viagens e realizar reuniões virtualmente.

Emprego

Muitos operadores de hotéis conseguiram reduzir seus custos de mão de obra significativamente por meio de horários reduzidos ou do uso de apoio governamental para afastar parte de sua equipe. Para criar estratégias sustentáveis para 2021 e posteriormente, os hoteleiros e operadores precisarão analisar seu ROI e determinar quais níveis de pessoal eles precisam reter para operar com lucratividade.

Dívida e reestruturação

É importante que os proprietários e operadores identifiquem rapidamente as áreas onde há uma falta significativa de recursos disponíveis. Por exemplo, pode ser necessário entrar em negociações antecipadas e transparentes para encontrar soluções construtivas para o

cumprimento das obrigações que podem estar vencidas, ou reestruturar outros custos que podem ser comprometidos em níveis não mais proporcionais aos níveis operacionais futuros do negócio. Diversos proprietários de hotéis podem considerar a reestruturação de suas dívidas, o que significa que fundos de private equity e operadoras maiores com reservas de caixa significativas podem começar a realizar aquisições.

Planejamento e relatórios financeiros

Para a maior parte do setor, os relatórios financeiros e o planejamento em 2021 serão substancialmente diferentes dos exercícios anteriores. A natureza dinâmica da pandemia significa que os governos estão adaptando suas estratégias regularmente, por isso é importante que os proprietários e operadores de hotéis estejam cientes desse apoio e aproveitem ao máximo da assistência disponível.

Análise de contratos e acordos

O impacto financeiro das mudanças, desde programas de fidelidade do cliente até políticas de cancelamento e contratos com fornecedores que dependem de volumes de compra para manter os custos baixos, será profundamente sentido pelos hoteleiros. Praticamente todos os acordos comerciais precisarão ser reavaliados para criar uma posição mais favorável para os outros meses de 2021.


Como a Grant Thornton pode auxiliar nesse processo?

A pandemia provavelmente contribuirá para uma mudança na experiência do cliente em todo o setor. O que está claro, porém, é que levará algum tempo até que a indústria hoteleira volte a ser como era no cenário pré-crise. Conte com o suporte dos consultores da Grant Thornton para auxiliar na definição dos próximos passos em seu planejamento e impulsionar a retomada no cenário pós-pandemia.