TECNOLOGIA

A tecnologia como aceleradora da resiliência futura nas empresas

By:
Ian Pascoe,
Pallavi Bakhru
insight featured image
A tecnologia passou de um facilitador de crescimento para um fator de continuidade de negócios diante do cenário de pandemia e isolamento. À medida que as empresas se reajustam para o futuro, elas precisam fazer as duas coisas.
Retomada estratégica

A tecnologia desempenhou um papel crítico na mitigação do impacto do vírus. Seja ajudando os colaboradores a realizarem seus trabalhos ou fornecendo uma plataforma para a satisfação de produtos e serviços, a tecnologia possibilitou novas formas de fazer negócios. No entanto, olhar para o futuro construindo resiliência por meio da transformação digital requer um equilíbrio entre as necessidades de curto prazo e a percepção de oportunidades de longo prazo.

Poucas empresas podem ter dúvidas de que a tecnologia, a transformação digital e a inovação são capacitadores essenciais da resiliência operacional. Agora é um momento crítico para avaliar até onde futuramente seus programas de tecnologia atuais podem levá-lo.

De fato, de acordo com os dados do IBR da Grant Thornton, 45,6% dos entrevistados globais disseram que precisariam fazer mais uso da tecnologia e da transformação digital após a crise da Covid. Ao mesmo tempo, 78% das empresas pretendem manter ou aumentar seus níveis de investimento em tecnologia nos próximos 12 meses.

Reavalie os sistemas de TI quanto à capacidade e à segurança

Após a rápida adoção da tecnologia nas primeiras fases da crise, agora vale a pena analisar quais medidas e sistemas foram colocados em prática e avaliar se eles são sustentáveis em uma nova escala, além de novas formas de trabalho que permitem operações seguras e eficientes.

Ian Pascoe.pngIan Pascoe, CEO e managing partner da Grant Thornton Tailândia, diz: “Muitas empresas consideram sua tecnologia inadequada. Portanto, voltar para revisitar o básico e verificar como seus sistemas são bons constituem algo vital. Por exemplo, fazer chamadas de vídeo é ótimo, mas você precisa ter certeza de que tudo funciona e que sua largura de banda é adequada.”

Considere a realização de uma auditoria remota de hardware e software para garantir que a força de trabalho possua as ferramentas necessárias para realizar suas tarefas por um período indefinido. Também é vital manter o controle da segurança de TI e avaliar continuamente quaisquer vulnerabilidades às quais a empresa possa estar exposta por meio do trabalho remoto.

Busque pela automação para executar tarefas de rotina

Um aspecto da crise é o nível de pressão que a equipe sofre para cumprir processos de rotina específicos em casa, ao mesmo tempo em que, muitas vezes, concilia os compromissos familiares.

Trevor Dunne.pngNo entanto, as tarefas essenciais ainda precisam ser concluídas e, em geral, são urgentes. Trevor Dunne, líder de consultoria de tecnologia da Grant Thornton em Belfast, diz: “É aqui que a automação por meio da robótica pode ajudar. Construir automações em poucos dias pode oferecer valor real e permitir que você remova a pressão da equipe. Além disso, a Robotic Process Automation (RPA) pode fornecer um serviço consistente.” Terceirizar a implementação da RPA pode ser uma forma rápida e econômica de obter ganhos de produtividade.

Reserve um tempo para fazer os investimentos certos em tecnologia

Antes da pandemia, algumas empresas podem ter sido convencidas de que determinadas tecnologias e atualizações digitais eram necessárias. Agora, a transformação digital deixou de ser uma aspiração desejável para se tornar essencial em todos os setores. No entanto, para chegar a essa conclusão, as empresas precisam tomar decisões de investimento com sabedoria.

Pallavi Bhakru.pngPallavi Bakhru, chartered accountant da Grant Thornton Índia, em Nova Délhi, diz: “Quando se trata de decisões de impacto de longo prazo, as pessoas querem saber o que está por vir. Se você implementar um sistema específico hoje – tal como a digitalização de toda a sua conformidade de impostos indiretos – ele será contemporâneo dois anos depois. Será ele compatível com a interface do governo?”

“As empresas precisam deliberar, porém há muito suporte e análises comparativas disponíveis sobre o que é mais adequado para você, para o nível de preço do investimento que você deseja fazer. É interessante que, enquanto as empresas estão deliberando, elas não estão retendo o investimento. Isso não é uma adoção estúpida da tecnologia; há muito questionamento, discussão e desejo de saber e compreender as coisas. Porém, a hesitação que havia anteriormente sobre se uma empresa deveria seguir a rota da tecnologia ou não passou.”

Utilize a tecnologia para fornecer dados acionáveis

Depois de transformados em informações utilizáveis, os dados são um recurso valioso na construção de resiliência e no ajuste de seus negócios, quando combinados com seu planejamento de cenário. Certifique-se de obter as análises, painéis, conjuntos de relatórios e estruturas de dados corretos para ajudar na tomada de decisões.

Na visão de Dunne, “os dados sempre foram essenciais para o sucesso dos negócios e para manter atualizados com as mudanças do ambiente. Independentemente do cenário que você enfrente, obter relatórios precisos sobre o que está acontecendo em seu negócio é fundamental e continuará sendo muito bom depois que esta pandemia passar.”

Os líderes precisam ter acesso a uma série de indicadores fora de seus negócios que os auxiliem a encontrar e perceber novas oportunidades, como um rival que enfrenta dificuldades financeiras que pode estar aberto para vendas. Utilize fontes como percepções de clientes, pesquisas de colaboradores, informações de entidades comerciais ou de analistas de mercado para ajudar a formar seu entendimento.

Fique atento aos riscos de segurança cibernética

O grande número de funcionários que provavelmente trabalharão remotamente no futuro aumentará a superfície de ataque dos cibercriminosos – as oportunidades de invadir sistemas empresariais, bem como de comprometer funcionários individuais. Os riscos cibernéticos estão em constante evolução e as empresas enfrentam riscos de segurança e conformidade sem precedentes, por meio de vazamentos de dados, como resultado do trabalho remoto. As empresas agora devem garantir que seus sistemas de nuvem e de infraestrutura sejam seguros e que haja clareza sobre quem é responsável por protegê-los e monitorá-los.

As empresas também devem implementar políticas de privacidade desde a concepção e de segmentação de dados, para que tenham percepção e controle sobre quem tem acesso aos dados em ambientes próprios e de terceiros. Eles também devem garantir que os fornecedores de serviços de tecnologia atendam aos padrões básicos de segurança e que tenham uma compreensão dos riscos ao longo da cadeia de suprimento.

Lidere a mudança de tecnologia na sala de reuniões

As oportunidades futuras associadas à tecnologia envolvem treinamento, qualificação e aquisição do talento certo, porém isso também requer determinado nível de compreensão e conhecimento no nível de conselho.

Susie Crowder.png

Susie Crowder, líder de consultoria de capital humano da Grant Thornton-Channel Islands, diz: “Acho que há uma lacuna de habilidades no espaço de tecnologia no nível de conselho. Pegue algo como a IA; ela não é um fenômeno novo, mas quando olhamos por que não foi adotada ou utilizada em sua capacidade total, é porque houve uma falta de compreensão no nível superior sobre o que a IA poderia fazer.”

“As empresas que podem abarcar a tecnologia e utilizá-la fortalecerão sua vantagem competitiva e reconstruirão resiliência em seus balanços patrimoniais mais uma vez. Contudo, as organizações que copiam e colam o que sempre fizeram e deixam a TI para a equipe de TI sem colocá-la na agenda da diretoria ficarão para trás.”

Os vencedores emergentes serão as empresas que adaptaram sua capacidade e sua visão de tecnologia mais rapidamente neste período. Aqueles com uma noção clara das oportunidades futuras, bem como dos riscos que a tecnologia atenua, estão bem posicionados para prosperar no novo ambiente operacional.

Fale com o especialista local da Grant Thornton para discutir onde a tecnologia e o digital podem ajudar a criar resiliência em suas operações.