O impacto da Covid-19 no otimismo do middle-market está revelado.

Em meio às crises sanitária e econômica enfrentadas globalmente por conta da pandemia de Covid-19, apenas 40% do empresariado brasileiro demonstra otimismo com o futuro da economia. O resultado do primeiro semestre de 2020 revela uma queda significativa em relação ao semestre imediatamente anterior, quando essa proporção era de 69%.

Esse posicionamento fez o Brasil aparecer em 16° lugar no ranking global presente no International Business Report (IBR), produzido pela Grant Thornton com a participação de cerca de cinco mil lideranças do middle-market em 29 países.

O estudo, que mede o grau de confiança dos empresários quanto aos próximos 12 meses da economia global, mostra que a média global também recuou, indo de 59% na edição anterior para ao atuais 43% de empresários otimistas.

A pesquisa foi realizada entre maio e junho de 2020 e abrange diversos indicadores, desde receita, investimentos, empregabilidade até perspectivas sobre setores específicos, para que seja possível chegar a um grau de otimismo geral sobre o futuro da economia e dos negócios.  

Trata-se de uma perspectiva atual relevante em meio a um cenário em constante transformação, com apuração realizada desde o início dos bloqueios relacionados à pandemia até a flexibilização das restrições em algumas partes do mundo.

Acesse nossa metodologia para obter mais detalhes sobre a realização do International Business Report.

IBR: Confira a metodologia aplicada

 

Principais indicadores do otimismo brasileiro
Vendas e Receita

Quando perguntados sobre a tendência de desempenho para os próximos 12 meses, 51% dos empresários brasileiros afirmam que esperam um aumento de vendas e receita para seus negócios. São 23 pontos percentuais (p.p) a menos do que apontado na edição anterior da pesquisa (74%), divulgada em janeiro, mas acima da média global dos 29 países, que foi de 34%.

Tecnologia e P&D

60% do empresariado brasileiro demonstram interesse em aumentar investimentos em tecnologia nos próximos 12 meses e 52% em Pesquisa & Desenvolvimento - uma tendência certamente impulsionada pelas adequações, inovações e incremento de infraestrutura necessária para suportar a necessidade de manter o distanciamento social e a competitividade no mercado.

Exportações

40% acreditam na tendência de aumentar as exportações para seus negócios, uma redução de 2 pontos percentuais (p.p) em relação à edição anterior.

Empregabilidade

46% acreditam no aumento da oferta de emprego nos próximos 12 meses, colocando o Brasil em 6° lugar no ranking, acima da média global, onde apenas 28% acreditam no crescimento de empregos.

Construção Civil

A pesquisa também aponta que o setor de construção civil pode ficar menos otimista comparado a edição anterior. Os resultados do último semestre de 2019 apontavam que, 49% dos empresários esperavam realizar investimentos em novos edifícios, o que colocava o Brasil na 6° posição no ranking global. Contudo agora, apenas 39% dos empresários brasileiros pretendem investir em novos edifícios. O dado ainda é acima da média global (22%) e mantém o Brasil na 6° posição.

Daniel_Maranhão_02.pngDaniel Maranhão, CEO da Grant Thornton Brasil, credita a queda de otimismo quanto às economias mundiais e, mais intensa no Brasil, aos impactos da pandemia de Covid-19 diretamente nos negócios e, também, à piora em alguns cenários políticos. “As agências de risco, como a Fich, esperam uma queda de 4,6% no PIB mundial. Mas, para o Brasil, a queda esperada pode ser maior do que 7%. Isso se deve ao cenário político. Na edição anterior do estudo do IBR, o Brasil tinha acabado de aprovar a reforma da Previdência e já falava em aprovação das reformas Tributária e Administrativa. Agora, passados seis meses, aumentamos muito o déficit fiscal com os gastos necessários para ajudar as famílias e as empresas, como por exemplo medidas

para auxiliar o fluxo de caixa da organizações e redução da jornada de trabalho para manutenção dos empregos. Contudo, não andamos com nenhuma das duas importantes reformas. Fora isso, há um cenário mais turbulento entre governo e STF e eleições municipais à frente. Nos EUA, a reeleição do Trump, que era dada como certa antes da pandemia, já não é uma certeza, o cenário é bastante equilibrado e, nem o mercado de capitais e nem os empresários gostam de trabalhar com incertezas. A partir do momento que esses cenários começarem a ficar mais claros e as reformas e medidas econômicas, como algumas privatizações no Brasil, andarem em ritmo mais acelerado, certamente o otimismo do empresariado vai voltar, junto com a retomada da economia no segundo semestre”, afirma o executivo.

Mantenha-se atualizado

O International Business Report (IBR) é publicado semestralmente pela Grant Thorntone e traz informações relevantes para a competitividade de empresas do middle-market.

Também publicaremos informações adicionais de nossa pesquisa ao longo do ano.

Para receber com exclusividade nossos novos conteúdos, preencha o formulário. 

Você também pode visitar a página de Insights para acompanhar nossas  diversas análises, e também acessar nosso HUB Covid-19 para saber a visão dos nossos especialistas sobre como superar os desafios e ampliar a resiliência dos negócios.