ESTADÃO

Tributar investimento em startups é um tiro no pé

Recentemente, a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei do Marco Legal das Startups, que há muito vem sendo demandado pelo setor.

Um dos pontos mais esperados era um melhor tratamento fiscal ao investimento anjo em startups, mas o tópico acabou não incluído no texto original e teve um destaque relacionado rejeitado.

Um estudo da consultoria Grant Thornton, projetando diferentes cenários de sucesso dos investimentos, mostra que após 5 anos, cada real investido em startups injeta outros R$ 5,84 na economia - o que representa uma arrecadação previdenciária e de impostos federais muito maior que aquela sobre o futuro ganho de capital do investidor. Ou seja: ampliar o investimento anjo é um ótimo negócio para a Receita Federal.

Confira a notícia completa