insight featured image
O ano de 2020 foi extremamente desafiador para a área de healthcare. A pandemia de Covid-19 agravou a crise econômica mundial e evidenciou problemas estruturais nos setores de saúde ao redor do mundo.

No Brasil, a desvalorização da moeda e a necessidade de importar suprimentos hospitalares dificultou a saúde financeira do setor privado e, principalmente, do setor público de saúde [i]. Além disso, com a alta de preços dos insumos, também foi intensificada a pressão aos gestores de hospitais em revisarem a gestão da cadeia de suprimentos, na busca por menores custos e maior eficiência.

Para ajudar a gerir os hospitais diante dos desafios impostos, a tecnologia se apresenta como aliada essencial. A análise e o cruzamento de dados, por meio da inteligência artificial (AI, da sigla em inglês), possibilitam prever cenários cada vez mais imprevisíveis e fundamentar ações comerciais que busquem manter o nível de atendimento ao paciente sem comprometer as finanças da instituição.

Cleber_barros.png[Aspas Cleber] "Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Etiam id felis quis ipsum facilisis bibendum. Duis at elit sit amet dui molestie tempus dapibus quis odio. Duis quis lorem sit amet sem malesuada placerat. Suspendisse potenti. Integer nisl massa, pellentesque non rutrum ut, scelerisque viverra ligula. Suspendisse purus nisl, suscipit eu consequat sed, tempor in leo".

A corrida global por suprimentos hospitalares

Uma importante fatia de medicamentos e insumos vitais para setor da saúde no Brasil são importados do mercado internacional. A pandemia evidenciou a dependência sanitária global para com a China, país com grande concentração produtiva de insumos para saúde, e exigiu maiores investimentos, por exemplo, em EPI’s (equipamentos de proteção individual). A alta demanda global e a falta de concorrência em larga escala contribui para alta de preços. Em paralelo, a moeda brasileira sofre com a desvalorização, o que dificulta a competitividade em um mercado altamente aquecido.

Em maio de 2020, hospitais e secretarias de Saúde já relatavam o aumento de até 2.000% em produtos [ii], no comparativo a compras anteriores à pandemia. Diante do alto contágio da Covid-19, os EPI’s tornaram-se produtos ainda mais indispensáveis e obtiveram maior procura por grandes quantidades. Por exemplo, as máscaras N-95 passaram a custar seis vezes mais e o preço das máscaras cirúrgicas saltou de R$0,24 para próximo dos R$5. A escalada nos preços pressiona estados e municípios a ultrapassarem os orçamentos destinados à Saúde.

Tecnologia no auxílio das relações comerciais do setor

O Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais (IPM-H) aponta que desde março, mês em que a pandemia chegou de vez ao Brasil, até julho, o preço médio dos medicamentos adquiridos pelos hospitais aumentou em 16,44% [iii]. O Índice é focado no comportamento de preço dos medicamentos negociados entre fornecedores e hospitais — e não na relação entre farmácias e consumidores finais. Para isso, os medicamentos foram classificados em 12 grupos terapêuticos e tiveram seus comportamentos comparados. Até julho, grupos de medicamentos para o aparelho cardiovascular tiveram aumento de 92,6%, para o sistema nervoso, aumento de 66%, e para o aparelho digestivo e metabolismo, aumento de 50,4%.

Para reduzir os impactos diante de um cenário adverso, o uso de sistemas data-driven que, por meio de inteligência artificial, se revelam como vitais para auxiliar no cruzamento de dados e projetar cenários para que hospitais e fornecedores possam planejar seus orçamentos diante da variação de preços e tomar decisões comerciais mais direcionadas e fundamentadas.

Marco_.pngNa visão de Marco Torelly, xxxxxxx de Inteligência de Mercado da SHS Healthtech, “as empresas da cadeia de healthcare, principalmente do setor hospitalar, estão sendo desafiadas a expandir sua eficiência e a sustentabilidade econômica-financeira, otimizar a alocação de insumos e proporcionar melhores condições atendimentos de maior qualidade aos pacientes. Aquelas que utilizarem de tecnologias que atendam de maneira customizada e efetiva a esses aspectos terão vantagens competitivas”.

 

Como a Grant Thornton Brasil pode auxiliar sua empresa? 

Nossas equipes especializadas auxiliam na identificação de soluções mais adequadas para o seu negócio. Nosso objetivo é conectar os players do mercado e potencializar a performance operacional e financeira das mais diversas instituições do setor de healthcare.

Conheça nossa abordagem