Artigo

Sua empresa realmente adota medidas de segurança digital?

Qualquer pessoa dentro de uma empresa sabe que enfrentar ataques cibernéticos é uma batalha sem fim e um verdadeiro sugador de recursos financeiro e humano. E, como se não bastasse, parece que os hackers estão sempre um passo à frente, realizando ataques de ‘dia zero’ que ninguém nunca viu antes.

Para agravar o problema, somos inteiramente dependentes de tecnologia, e equipamentos que oferecem a qualquer hora e em qualquer lugar acesso a aplicativos e serviços que são essenciais para a empresa. Eles nos tornam mais eficientes e produtivos, mas também aumentam as ameaças, fornecendo mais pontos de entrada nas redes comerciais para os criminosos cibernéticos explorarem.

A verdade que as empresas devem enfrentar é que não há como o risco de segurança cibernética ser totalmente eliminado. Por outro lado, existem etapas que as organizações podem adotar para impedir muitos ataques ou atenuar as consequências se ocorrer um ataque desse tipo.

Gerenciamento de riscos é fundamental

É muito difícil acompanhar o ritmo de todas as ameaças. Portanto, elabore o que representa o maior perigo para seus negócios e crie um regime de gerenciamento de riscos em torno dele. Podem ser informações confidenciais da empresa que causariam danos catastróficos à reputação se vazassem ou roubassem ou dados transacionais que levariam a perdas financeiras diretas ou indiretas se expostas. Classifique o risco em todas as áreas da sua empresa e alinhe as medidas de segurança às mais vulneráveis. Você precisa garantir que os recursos protejam as informações valiosas mais importantes para sua organização.

Proteger sua tecnologia é essencial, a maioria das empresas agora opera em sistemas de TI, locais e externos, acessados ​​por redes. Com os serviços móveis e na nuvem, os perímetros de rede tradicionais foram borrados, o que dificulta a proteção dos sistemas que armazenam os dados que os hackers desejam roubar. Você precisa de defesa profunda, diversas camadas de proteção em vários pontos de entrada com as habilidades apropriadas para gerenciá-las, garantindo que as possíveis vulnerabilidades estejam sempre "corrigidas", que o antivírus esteja instalado e que os sistemas estejam configurados com segurança.

Desenvolva uma cultura de segurança

As pessoas costumam ser o elo mais fraco da segurança de uma organização. Você precisa treinar e educar explicitamente os funcionários sobre riscos cibernéticos relevantes para o seu papel. Faça com que assinem um documento de política, as regras e regulamentos que deixam claro o que podem e o que não podem fazer com o equipamento de TI que eles usam em seu trabalho. A má notícia é que as empresas são muito boas na elaboração de políticas, mas relaxam quando se trata de implementá-las. A melhor chance de mitigar riscos é ter políticas totalmente incorporadas à cultura da empresa e de forma centralizada para tudo o que os funcionários fazem.

Os profissionais de segurança dirão que existem apenas dois tipos de organização: a que foi invadida e a que não sabe que foi invadida. O ponto sério é que você precisa prestar atenção em como pode controlar uma violação depois que ela ocorre, como proteger contra uma em primeiro lugar. As políticas, procedimentos e ferramentas de aplicação devem primeiro se concentrar em conter a ameaça, impedindo-a de penetrar em toda a organização, antes que a atenção se concentre em identificar e corrigir a vulnerabilidade para impedir que ela aconteça novamente.

Agora que todos se comunicam digitalmente e por vários canais, a troca de informações corre o risco de o malware ser baixado nos sistemas da empresa e causar estragos nos negócios. Uma combinação de ferramentas e políticas é a melhor proteção: software que impede automaticamente os usuários de acessar sites suspeitos e bloqueia a entrada de e-mails maliciosos; e políticas que instruem os usuários a não clicar ou abrir qualquer coisa suspeita que seja detectada.

Seja você mesmo ou comprando-o como um serviço gerenciado, você precisa monitorar constantemente os seus sistemas e serviços. Você precisa de software e hardware para gerar alertas e análises em tempo real para explicar e conter uma violação. Você precisa de recursos que o setor denomina de SIEM - Gerenciamento de informações e eventos de segurança - idealmente pré-configurado para as demandas específicas de seus negócios, seja a prioridade a conformidade regulamentar ou a redução da perda financeira.

 

Por: Mike Harris | Sócio Grant Thornton Irlanda

 

Como a Grant Thornton pode auxiliar na segurança digital da sua empresa? 

Nossos especialistas podem avaliar suas necessidades e oferecer soluções customizadas ao seu negócio. 

Confira também