IBR 2019 | 2° SEMESTRE

Perspectivas econômicas elevam grau de otimismo do empresariado brasileiro

O empresariado brasileiro está mais otimista em relação à economia e ao futuro dos negócios nos próximos 12 meses, atingindo 69% no segundo semestre de 2019.

O resultado representa um avanço significativo em relação ao primeiro semestre do mesmo ano, quando apenas 29% dos empresários expressavam otimismo. Esse posicionamento fez o Brasil saltar da 17ª para a 6ª colocação no ranking global presente no International Business Report (IBR), produzido pela Grant Thornton com a participação de cinco mil líderes de mercado em 35 países, entre os meses de outubro e novembro de 2019.

Globalmente, 59% dos empresários entrevistados veem com otimismo os próximos 12 meses. No primeiro semestre de 2019, 56% dos entrevistados manifestavam esse tipo de confiança. Considerando o cenário na América do Sul, o Brasil se destaca ainda mais entre seus pares, pois a Argentina, segunda colocada entre os países da região, aparece apenas na 19° posição entre os 32 países pesquisados. O Vietnã lidera o ranking global com 82% de otimismo, seguido pela Indonésia (78%), Emirados Árabes Unidos (77%), China (74%) e Estado Unidos (73%).

Aspectos influenciadores do otimismo

São diversos os indicadores analisados, sendo que no Brasil o destaque está para o otimismo em relação ao aumento das vendas para seus negócios, com 74% dos entrevistados manifestando esse tipo de confiança – 5% a mais do que apontado na edição anterior. No tema rentabilidade, o Brasil também se destacou. Enquanto 54% dos empresários no mundo esperam um aumento da rentabilidade em seus negócios, no Brasil esse percentual é de 66%, aumento de 3 pontos percentuais.

De forma geral, as perspectivas para a economia brasileira em 2020 são bastante positivas por parte do empresariado. Uma prova disso é que 42% acreditam na tendência de aumentar as exportações para seus negócios, um aumento de 4% em relação à edição anterior. O mesmo quadro podemos observar para a empregabilidade, onde 60% acreditam no aumento do emprego, colocando o Brasil em 7° lugar no ranking global, bem acima da média global, onde 45% apenas acreditam num crescimento do emprego.

Veja também

Perspectivas positivas aumentam grau de confiança

“Podemos observar que, com algumas medidas que foram tomadas para o ajuste fiscal brasileiro, principalmente, a aprovação da Reforma da Previdência, as perspectivas positivas do empresariado quanto ao futuro da economia brasileira aumentaram relativamente. Isso, porque a Reforma trouxe maior confiança na agenda do Estado Brasileiro, de que estamos entrando num novo ciclo de agenda positiva, onde esperamos uma célere tramitação e aprovação das medidas necessárias. Pois, o empresariado vê com bastante otimismo as reformas que ainda estão por vir, como a Tributária e a Administrativa. Além disso, outras iniciativas, como marcos regulatórios, privatizações e concessões, tendem a acelerar e aumentar ainda mais o grau de confiança de que a economia brasileira vai crescer de forma sustentável nos próximos anos”, afirma Daniel Maranhão, CEO da Grant Thornton Brasil.

Setores beneficiados

A pesquisa também aponta que o setor de construção civil deve se beneficiar bastante caso as expectativas do empresariado se concretizem no Brasil. Isso porque 49% dos empresários esperam realizar investimentos em novos edifícios. Nesse quesito, o Brasil é o 6° colocado no ranking global, já que entre os outros países pesquisados é de 33% apenas.

O que reflete o otimismo brasileiro também quando perguntado sobre maquinário e novas instalações, com 52% dos entrevistados esperando um aumento neste sentido, o que representa 7% a mais em relação à pesquisa no semestre anterior.

Indicadores

Confira na tabela abaixo todos os indicadores que refletem o otimismo do empresariado brasileiro no segundo semestre de 2019 e a diferença porcentual em relação ao período imediatamente anterior: