Artigo

Tecnologias contribuem para a disrupção do setor energético

As novas tecnologias e outras inovações muitas vezes desencadeiam disrupções nos negócios que eliminam os modelos convencionais e redefinem o que deve ser seguido como parâmetro.

Recentemente, o setor energético focou essas transformações no campo, mas a inteligência artificial (IA), a Internet das coisas (IoT), as soluções baseadas em nuvem e outras revelações tecnológicas estão prestes a atravessar o mercado.

Para determinar onde e quando sua organização deve se movimentar rumo à disrupção eficiente, é importante entender as oportunidades, onde elas se encaixam e quando elas se tornam adequadas para a sua empresa.

Evoluções tecnológicas no setor energético

 

No setor de energia, as oportunidades em evolução podem ser categorizadas em cinco áreas:

1. Canais de mercado

Os mercados de Serviços e Utilidades dentro do setor de energia estarão focados na integração de plataformas móveis e on-line, melhorando a aquisição de clientes e aprimorando o serviço. As transformações de canal de mercado focadas na digitalização da interação com o cliente não serão uma prioridade para os mercados Upstream, Midstream ou Downstream no futuro próximo. Esses mercados esperam que a interação com o cliente continue em grande parte, como ocorre hoje, com o mínimo de disrupção.

Alguns provedores de serviços “gig-based” também devem surgir em 2022. Imagine o Uber para caminhoneiros – motoristas independentes que querem usar seus caminhões para gerar receita com seu excesso de capacidade. Eles só precisam de uma plataforma para comercializar e vender esses serviços, sendo que empresas e fundos de private equity já estão desenvolvendo plataformas para serviços realocados e serviços sob demanda inteiramente novos.

Embora a aquisição de clientes e as transformações de serviço sejam limitadas a mercados de energia específicos, há uma expectativa mais ampla no horizonte de curto prazo para que os canais de mercado desenvolvam plataformas integradas do setor. Espera-se que essas plataformas integradas forneçam às empresas uma visão em tempo real dos processos de upstream, midstream e downstream para identificar onde estão os produtos, onde estão os serviços e quando os trabalhos serão concluídos. Os clientes de todo o setor desejam acesso em tempo real aos dados nos mercados da indústria para melhorar a previsão e a execução. Como resultado, os fornecedores de software e tecnologia do setor já estão desenvolvendo ferramentas para fornecer essa funcionalidade em todo o setor.

2. Gestão de mercado

As empresas de serviços e utilitários de varejo já estão começando a alavancar a inteligência de negócios e as plataformas de análise ajudarão as empresas a prever o comportamento do cliente, entender como os clientes tomam decisões de compra e determinar como avaliar determinados produtos. As empresas poderão colocar em prática planos de mercado para reagir antes que as mudanças de clientes realmente aconteçam. Há muito potencial, mas essas primeiras oportunidades de gerenciamento de mercado são principalmente do lado do varejo. A maior parte do setor está aproveitando as plataformas de business intelligence e analytics para agregar valor ao back office ou às operações do negócio.

Observe também que, embora você possa ouvir muito sobre chatbots e automação de suporte ao cliente em outros setores, o atendimento ao cliente e o gerenciamento de contas para a maioria do setor de energia para o futuro previsível ainda serão baseados nas relações pessoais ou nas interações pessoais telefônicas.

3. Gerenciamento de operações

Os dispositivos de campo e IoT permitirão o gerenciamento de ativos corporativos em tempo real e até mesmo preditivos. Assim, será possível conduzir uma análise preditiva com o objetivo de reduzir o tempo de inatividade, especialmente em compressores ou gargalos do sistema. Esses sistemas preditivos de IoT se tornarão padrão nos próximos dois a três anos.

A Inteligência Artificial acelerará as decisões estratégicas aproveitando os dados que as empresas têm sobre como perfurar poços. Os sistemas analisarão fatores como técnicas de perfuração que foram usadas para determinar o que tornava os poços bem-sucedidos e de alta produção. Embora muita inovação tenha ocorrido no campo, agora a tecnologia está ficando inteligente o suficiente para ajudar a criar modelos preditivos e melhorar o processo.

4. Suporte de operações

Outro grande tópico no setor de energia é o blockchain, com diversos CFOs e CIOs questionando a maneira como ele pode ser usado. Até o momento, essa tecnologia é mais utilizada na cadeia de fornecimento com os contratos inteligentes. Imagine uma plataforma que concilie automaticamente e imediatamente suas compras e seus contratos de nível de serviço, em vez de precisar que alguém analise manualmente os contratos em intervalos de 30 dias para determinar se os contratos foram cumpridos e quais pagamentos vencem.

Além disso, a tecnologia wearable ajudará a automatizar a conformidade e os relatórios de saúde e segurança da empresa. Imagine trabalhadores em fábricas ou locais de campo usando dispositivos que medem frequência cardíaca, estresse ou outros dados biométricos básicos enquanto rastreiam localização, portanto, uma plataforma de inteligência artificial pode ajudar a prever possíveis problemas de segurança e enviar avisos antecipadamente.

5. Gestão corporativa

Nos próximos três anos, o setor de energia passará para uma meta de 40% de otimização por meio de tarefas automatizadas - muito disso será em processos manuais de back office em áreas como contas a pagar, por exemplo. O Robotic Process Automation (RPA) reduzirá a necessidade de crescimento adicional relacionado ao número de funcionários de back office, e as plataformas “low-code” ajudarão os usuários corporativos a automatizar tarefas em três ou quatro aplicativos diferentes, sem precisar de conhecimentos aprofundados de codificação. Sistemas de reconhecimento de linguagem natural e de varredura também ajudarão a acelerar o afastamento dos sistemas baseados em papel remanescentes.

 

Ações práticas: preparativos de hoje

 

Com tantas oportunidades no horizonte e tecnologias evoluindo todos os dias, o que as empresas de energia devem fazer primeiro? Como as empresas podem se preparar agora e quais são suas próximas prioridades?

Abaixo está um roteiro de tecnologias emergentes baseado em pesquisas da Grant Thornton, feedback direto e ações bem-sucedidas ​​com centenas de clientes de do setor.

  • Defina sua estratégia de dados mestres

Sua empresa precisa definir uma estratégia de dados mestres e fortalecer os dados existentes para integrar rapidamente novas tecnologias. Isso significa estabelecer um modelo de dados que represente de maneira precisa e completa seus produtos e serviços. Por exemplo, você precisa garantir que “a maneira como descreve” um produto seja o mesmo em toda a organização, de modo que um sistema que monitore características específicas possa se integrar em toda a organização. Certifique-se de que os identificadores exclusivos sejam realmente uma representação real de cada produto ou serviço em si, para evitar passar por exercícios de reengenharia para integrar os sistemas posteriormente.

  • Otimize sua rede e suas comunicações

Sua empresa precisa modernizar e otimizar sua estratégia de rede e comunicação para conectar e executar plataformas e serviços em nuvem. A maioria das empresas de energia ainda usa sistemas locais para uma parcela significativa de sua infraestrutura e aplicativos, mas há muita pressão para se mudar para a nuvem. Parte disso é impulsionada pelos provedores de soluções. Alguns provedores de soluções pagam apenas uma comissão aos vendedores quando vendem soluções em nuvem - os vendedores não ganham nada se vendem soluções no local e alguns provedores estão diminuindo seu suporte para soluções locais. A mudança para soluções baseadas em nuvem também está atingindo um ponto de massa crítica, no qual empresas sem uma estratégia de nuvem podem descobrir em breve que seus desenvolvedores e parceiros têm opções limitadas de integração e inovação.

  • Conclua uma racionalização de aplicativos

Identifique oportunidades para racionalizar e reduzir seu inventário de aplicativos, para acelerar a velocidade de transformação. A racionalização de aplicativos é um passo importante para o desenvolvimento de um portfólio de aplicativos, e começa com a observação de seus aplicativos atuais para perguntar: Como eles se propagam dentro da organização? Como eles permitem o negócio? Considere essa racionalização, juntamente com a otimização da sua rede, ao formar sua estratégia de dados mestres.

  • Estabeleça uma estratégia de gerenciamento de dispositivos

Verifique se você tem uma estrutura para ajudar os usuários a entender onde estão os recursos, como a empresa os está usando, como estão sendo afetados e como podem ser otimizados daqui para frente. Isso inclui identificar ativamente oportunidades de automação.

Esteja sempre atento a oportunidades de automação em todos os estágios – a automação não apenas otimizará seus processos, ajudará a atrair novos talentos e a compensar aposentadorias à medida que você avança.

E lembre-se: a disrupção não é um estado temporário. É uma nova perspectiva – um novo modo de vida.

 

Quer saber como a Grant Thornton pode auxiliar a sua empresa nesse processo?

Entre em contato e indicaremos especialistas dentro de uma rede global de atendimento e desenvolvimento de soluções estratégicas de acordo com as necessidades do seu negócio.

Veja também