TECNOLOGIA, MÍDIA E TELECOMUNICAÇÕES

Por que é hora de um choque de realidade 5G?

Chris West Chris West

Toda vez que eu vou ao GSMA’s Mobile World Congress [Congresso Mundial de Celulares GSMA],este ano em Barcelona, eu fico surpreso com seu tamanho monumental. A principal área de exposições sozinha possui cerca de 1km (sem contar o centro de conferências próximo que recebeu as start-ups). E ela tem que ser de grande escala para acomodar os 108.000 visitantes do evento e 2.300 empresas expositoras.

O evento realmente demonstra a importante indústria da qual fazemos parte.

Um mercado em consolidação para o setor de celulares

Mas, este ano, eu senti algo diferente na sala. O GSMA deu o tom ao apresentar números sugerindo que o setor de celulares está se consolidando. Enquanto o uso de dados continua a todo vapor, as receitas de celulares devem se manter estáveis ao longo dos próximos anos em mercados desenvolvidos e em desenvolvimento, impulsionado por concorrências cada vez mais ferozes, novos participantes OTT e mudança regulatória.

Como resposta, os expositores do evento destacaram o papel do IoT como a faísca para reacender o crescimento do setor. Entre a vasta gama de potenciais aplicativos apresentados no evento, vimos incríveis demonstrações de realidade virtual como o piloto de cirurgia remota da Ericsson. Os carros conectados foram um tema recorrente, como demonstrado pelos fabricantes, incluindo Mercedes, Jaguar e Ford, fornecedores como Huawei e Ericsson, e operadores como a Vodafone. Os aplicativos de cidades inteligentes de cidades como Barcelona, Dubai, Moscou, Dublin e Xangai também foram apresentados.

Por outro lado, vimos também aplicativos de baixa taxa de bits, incluindo os dispositivos de alerta de roubo que estão atualmente sendo instalados para proteger as tampas de bueiro de Barcelona.

5G como principal facilitador

O que todas essas oportunidades têm em comum é que o 5G é universalmente visto como o principal facilitador a longo prazo. E é aqui que o “algo diferente” que eu senti fica mais claro.

Em primeiro lugar, não haverá sequer um acordo global 5G padrão em vigor até 2019/2020. E, enquanto isso, muitas operadoras ainda estão lançando suas redes 4G a altos custos. Eles precisam ser convencidos da oportunidade comercial e ter uma compreensão profunda do caminho de migração de suas redes existentes, antes de fazer qualquer compromisso a mais com a rede capex.

Isso não é tudo. Com a direção do fluxo reduzindo claramente a inteligência das extremidades da rede, preocupações significativas estão surgindo sobre ambientes de segurança 5G também.

Preparando-se para aproveitar as oportunidades do 5G

Isso não quer dizer que as operadoras não devem pensar nas oportunidades do 5G. Apenas que é muito cedo para que muitos considerem investir nele por enquanto. Enquanto isso, não é novidade que muitas operadoras estão focando em oportunidades para reduzir seus custos e aumentar as margens.

E maiores oportunidades. Exemplos que vimos incluem a implementação de tecnologias NFV (Virtualização de Função de Rede) e SDN (Rede definida de software) na rede central, ambos os quais foram tratados no Congresso Mundial de Celulares de 2016. A virtualização baseada em nuvem de vários fornecedores também tem um papel fundamental a desempenhar.

Na RAN (rede de acesso via rádio), a implementação RAN e SDRAN (RAN definido por software) é outra oportunidade com potencial significativo de economia de custos. O mesmo se pode dizer da digitalização em curso dos processos de Back-Office no BSS (sistemas de suporte de negócios) e OSS (sistemas de suporte operacional).

Melhora nas margens da operadora

Na Grant Thornton também já estamos ajudando as operadoras a se prepararem para o 5G através da implementação simultânea de uma ampla gama de soluções existentes. Isso nem sempre significa usar tecnologias novas e (até o momento) não comprovadas. Por exemplo, ajudar os clientes a revisarem e aprimorarem seus modelos operacionais existentes está melhorando significativamente a margem de várias empresas.

Nós também estamos possibilitando que os clientes aprimorem a eficácia de suas operações, com um enfoque particular na parte financeira, para otimizar os sistemas e processos de Back-Office e evitar vazamentos na cadeia de valor.

Nós estamos abordando questões de governança e rede também, com grande ênfase em segurança cibernética. E nós estamos ajudando-os a entender o potencial de economia de custos de novas tecnologias de digitalização, incluindo o Livro fiscal/Blockchain distribuídos.

Se preparando para a corrida do ouro...

Portanto, há muito que as operadoras podem fazer antes de se prepararem para o 5G. Como eu já disse, até que o padrão seja estabelecido, não podemos ver muito investimento direto em 5G pelas operadoras - apesar dos fabricantes dizerem que os aplicativos de todos eles valem a pena.

Mas o investimento em eficiência hoje irá impactar numa liderança na preparação para 2019/20, quando a publicação das normas significará que a corrida do ouro do 5G vai realmente começar.

 

Receba nossas informações: