IBR

A força do outsourcing na Ámerica Latina

A terceirização de processos financeiros, conhecida como outsourcing, é uma prática de negócios utilizada em empresas do mundo todo.

Segundo o estudo International Business Report (IBR) da Grant Thornton, duas em cada cinco empresas usam esta ferramenta com um meio para reduzir custos, melhorar a eficiência e garantir compliance. A pesquisa, que é trimestral, foi realizada com 2.571 empresários de 36 países, sendo 150 deles executivos brasileiros dos mais diversos setores da economia.

Os serviços de folha de pagamento e RH são os mais comuns no universo do outsourcing. No Brasil, 49% dos empresários afirmaram já ter terceirizado este processo. Globalmente, apenas 25% dos executivos já utilizaram terceiros para processar a folha. No setor financeiro e de contabilidade, a diferença é ainda maior: 60% dos brasileiros já utilizaram serviços de outsourcing, quando esse índice é de 20% no resto do mundo. A pesquisa também mostra que a América Latina é o continente onde as empresas mais utilizam serviços de outsourcing. Nas outras regiões, os empresários são mais receosos de terceirizar algumas áreas, principalmente a financeira, que envolve dados confidenciais.

Na hora de procurar um parceiro na área de outsourcing, os executivos brasileiros levam em conta confiança no fornecedor (55%), conhecimento na área de atuação da empresa (43%) e habilidade em oferecer soluções inovadoras (36%). Porém, em países como Estados Unidos (62%), Austrália (50%), Canadá (49%) e Reino Unido (46%), o custo é mais importante do que qualquer outro fator para determinar o prestador de serviço.

A qualidade da relação entre cliente e fornecedor (95%), comunicação (91%), gestão de recursos (88%) e experiência do provedor (86%) são os requisitos apontados como básicos pelos executivos brasileiros para que um serviço de outsourcing tenha ótimos resultados.

“Pela nossa experiência, empresas de todos os portes procuram terceirizar cada vez mais serviços de back-office financeiro e, para acompanhar esse crescimento, é importante que os prestadores de serviços estejam atentos para cumprir com as expectativas das empresas que procuram o outsourcing e façam investimentos constantes em tecnologia e treinamento de pessoal. Outro detalhe é que empresas estrangeiras e nacionais também buscam esta forma de serviço por conta da complexidade da legislação brasileira”, comenta Denis Satolo, Managing Partner da área de outsourcing da Grant Thornton Brasil.

Para as empresas que se utilizam de outsourcing, o estudo da Grant Thornton recomenda três ações: contratação de uma empresa que proporcione um leque vasto de serviços, revisão do relacionamento de forma frequente e definição de novas métricas para avaliação. Satolo acrescenta que “todas estas ações fazem com que o serviço traga mais resultados e valor agregado, como temos notado com muitos de nossos clientes ao longo dos anos”.

Receba nossas informações:

Estudo - Terceirização de processos financeiros
Download PDF [ 1264 kb ]