Artigo

Motivos imperativos para auditar a cultura organizacional da sua empresa

Ronaldo Loyola Ronaldo Loyola

Diante das inúmeras mudanças sociais, econômicas, tecnológicas e crescente complexidade, a sua empresa consegue dimensionar as perdas financeiras caso sua cultura organizacional não esteja alinhada às novas demandas de mercado?

Para que possamos construir uma organização com capacidade de sobreviver e prosperar na Era do Capital Cultural, faz-se necessário desenvolver um processo de mudança de cultura que tenha como alvo o alinhamento pessoal dos líderes e o alinhamento estrutural da empresa alicerçado em seus valores. As organizações dirigidas por valores são as que mais demonstram potencial de sucesso globalmente.

O estudo Return on culture, realizado pela Grant Thornton e Oxford Economics, revela que, embora os executivos estejam preocupados com as questões de mudança da cultura, a maioria não mede e nem tampouco sabem quais ferramentas são mais eficazes para construir uma forte cultura organizacional.

Indicadores de cultura organizacional

Quando falamos em medir performance nas empresas, logo lembramos dos indicadores de produção (produtividade, eficiência, qualidade etc.) ou de resultado (lucro, vendas, turnover etc.). São indicadores facilmente medidos e determinados.

No contexto da cultura organizacional, o grande dilema está em mensurar o intangível, ou seja, como medir a questão do alinhamento dos valores pessoais dos funcionários em relação aos valores corporativos, do engajamento das pessoas com a missão da empresa e da entropia cultural (energia consumida em trabalho não produtivo).

Nos processos de auditoria de cultura, utilizamos uma metodologia que oferece métricas que permitem medir e gerenciar ativamente a cultura da empresa, tornando o intangível, tangível. Através da tradução de dados qualitativos em dados quantitativos, torna-se possível criar uma organização de alta performance dirigida por valores que geram altos níveis de desempenho dos funcionários e melhoria nos resultados financeiros.

Veja também

Por que auditar a cultura da sua empresa?

Entre os principais motivos que levam as organizações a realizarem uma auditoria em sua cultura estão:

• Reposicionamento estratégico

Empresas que buscam alinhar a cultura para viabilizar a nova estratégia do negócio e gerar os resultados almejados.

• Turnaround

Empresas que buscam definir uma identidade que dê sustentação ao novo direcionamento da organização em um momento crítico de sua história.

• Profissionalização da empresa

Empresas que almejam mudar uma cultura centrada no relacionamento/lealdade para uma que valorize a meritocracia e o resultado.

• Change Management

Empresas que querem alinhar a mudança com a cultura da organização, respeitando os desafios da adaptação das pessoas à nova realidade.

• Mudança na Liderança

Empresas que buscam apoiar a liderança no processo de alinhamento de uma cultura estabelecida ou na construção de uma nova cultura.

• M&A

Empresas que precisam mapear e gerenciar suas forças e limitações culturais para que a estratégia da nova empresa se realize plenamente.

• Abertura de Capital

Empresas que necessitam facilitar a transformação cultural de uma perspectiva interna para atender as necessidades de todos os stakeholders.

Para que seja efetivo, qualquer gerenciamento de mudança cultural deve focar em um sistema integrado com o envolvimento de todas as lideranças. O trabalho de auditoria é apenas uma etapa deste processo, pois através da análise e interpretação de diversos indicadores que tornam o invisível totalmente visível, é possível construir um amplo plano de ação focado na transformação cultural.

O poder de alinhar discursos e ações

Temos observado em diversas organizações discursos de mudanças culturais que não refletem nas crenças e valores enraizados dentro do negócio. Ou seja, as ações não confirmam as palavras e não se consolidam em resultados efetivos. Isto ocorre principalmente em empresas que dedicam uma grande quantidade de energia e recursos em programas de desenvolvimento profissional para seus líderes, porém sem nenhum tipo de alinhamento e aderência às motivações e aspirações das pessoas naquela companhia. 

Neste tipo de cultura organizacional tóxica, o nível de descontentamento e desilusão de executivos e funcionários fica cada vez mais evidente dentro do ambiente de trabalho, acarretando frequentes pedidos de demissão. Portanto, uma cultura clara e bem gerenciada, atrai e retém as pessoas talentosas através de mobilização e engajamento. A companhia aumenta a lucratividade e o valor no mercado.

Como reflexão final, os empresários que não se comprometerem com este momento de ruptura de modelos de cultura tradicional, engessada e de pessoas desengajadas, correm o risco de serem aniquilados por outras organizações ou empreendedores que já efetuaram a correta leitura da importância e do diferencial do valor do capital cultural.

Para entender melhor como funciona todo este processo de auditoria cultural e a consequente contribuição para o aumento do valor do negócio no mercado, entre em contato com a equipe de Capital Humano da Grant Thornton Brasil.