Gateway Cities

Joanesburgo: centro econômico e industrial no mercado africano

Um verdadeiro hub econômico e industrial da África subsaariana, Joanesburgo é considerado um valioso ponto de acesso para empresas que estão buscando aproveitar novas oportunidades na África do Sul e região.

Yugen Pillay round headshot.png“Há uma série de hubs em franco crescimento na África, mas, se quiser levar a sério a possibilidade de fazer negócio no continente, Joanesburgo precisa estar no radar,” explica Yugen Pillay, líder da consultoria empresarial na África do Sul.

“A cidade é não somente a porta de entrada para este país, mas também para o resto do continente. As empresas vêm para cá para acessar os mercados africanos, tanto que algumas das maiores empresas internacionais já têm sede aqui. O que significa que Joanesburgo pode ser o lugar aonde você deve vir para fechar grandes negociações,” explica Pillay.

O executivo explica, ainda, que o aeroporto de Joanesburgo, Oliver Tambo, é o mais movimentado da África do Sul, responsável pelo manuseio de cerca de 400 mil toneladas em frete aéreo por ano – praticamente 90% do volume total da África do Sul – e responde por mais da metade dos passageiros que voam rumo ao país.

Serviços financeiros em destaque

“A infraestrutura de apoio aos negócios daqui também é excelente”, afirma Pillay. Sandton é a parte da cidade com o metro quadrado mais caro da África e é nesse bairro que está localizada a sede de diversos bancos globais, desde o Banco da China até o JP Morgan Chase e o HSBC.

“Johanesburgo ostenta um setor de serviços financeiros avançadíssimo: se quer fazer um empreendimento decolar, é aqui que os recursos são captados”, acrescenta.

A tecnologia também é um setor chave de crescimento para a cidade, com multinacionais como a Cisco, a IBM e a Orange mantendo escritórios regionais em Joanesburgo. “Há um excelente suporte para startups de tecnologia, e atualmente o governo está explorando o incentivo a investimentos a fim de baixar os custos dos dados”, explica Pillay, com interesse e inovação em sub-setores, como fintech e Internet das Coisas (IoT).

“Tanto a Cidade do Cabo como Joanesburgo são grandes hubs para a indústria de tecnologia, e a África do Sul vem produzindo muitos dos mais conhecidos empreendedores de tecnologia.”

Joanesburgo também está bem posicionada em termos de facilidade para instalar empresas e fazer negócios, declara Pillay: “O regime fiscal para pequenas empresas é justo, e é possível registrar uma nova empresa, abrir uma conta bancária e ficar pronto para começar a fazer negócios no prazo de uma semana.”

Espírito empreendedor

A história de Joanesburgo como centro da corrida ao ouro no sul da África no final do século XIX imprimiu na cidade um espírito empreendedor. “E a África do Sul tem políticas comerciais avançadas e acordos de comércio com diversos países em todo o mundo”, observa Pillay.

Mais recentemente, ressalta, com a eleição de um presidente focado no estímulo à economia  – Cyril Ramaphosa – foram lançadas iniciativas visando um impulso econômico significativo, o que tornou a África do Sul muito mais atraente para investidores, de acordo com as conferências dedicadas ao investimento no país realizadas em 2018 e 2019, que levantaram mais de R650 bilhões em investimentos e compromissos por parte das corporações.

“Um bom exemplo dessa cultura pró-negócios é o fato de que criamos o Código de Governança Corporativa King IV, que está sendo adotado por um número cada vez maior de conselhos”, explica Pillay. “Recentemente, temos observado um aumento no número de empresas Fortune 500 instaladas em Joanesburgo”.

Zona Econômica Especial

Atualmente o governo da província de Gauteng também está investindo bilhões de Rands no desenvolvimento da Aerotrópolis Ekurhuleni, à leste de Joanesburgo.

Como parte desse programa, em novembro de 2019 foi lançada uma zona econômica automotiva com o objetivo de promover a manufatura e as exportações no setor. Chamada Zona Econômica Especial de Tshwane, sua conclusão está prevista para o final de 2020.

Empresas grandes que considerem investir em Joanesburgo devem contatar o Departamento da Indústria e Comércio enquanto empresas pequenas e médias devem contatar o Departamento de Pequenas Empresas para obter orientações e assessoria.

Porta de entrada para a África

“Joanesburgo é o núcleo industrial e econômico do sul da África e talvez até mesmo de todo o continente”, explica Pillay. “Tudo o que você precisa está aqui – infraestrutura, financiamento, pessoas e regime fiscal. Temos uma máxima que diz: Se você não conseguir fazer negócios aqui, não conseguirá em nenhum outro lugar.”

Conselho de especialista

O espírito empreendedor e o clima pró-negócios de Joanesburgo fazem da cidade a porta de entrada ideal para empresas que estão buscando se expandir para a África do Sul e região.

Para descobrir mais sobre como estabelecer sua empresa na região, entre em contato com a Grant Thornton África do Sul.

Joanesburgo | Fast Facts

Localização: Província de Gauteng, África do Sul

Fuso horário: Horário Padrão da África do Sul GMT +0200

População: 5,6 milhões

PIB: US$48,3 bilhões (2018)

Pontos fortes: Indústria de serviços financeiros, tecnologia e mineração

Setores de crescimento: Energia renovável, fintech, Internet das Coisas, turismo

Acesso regional: Pretória - 35 minutos de trem; Cidade do Cabo - 2 horas de avião; Nairobi - 4 horas; Lagos - 6 horas