INTERNATIONAL BUSINESS REPORT

Como utilizar a tecnologia para recrutar profissionais mais qualificados?

A dificuldade em recrutar profissionais qualificados é um dos grandes desafios em algumas das maiores economias mundiais, como Canadá, EUA, Reino Unido e Japão. Diante dessa realidade, o dilema é: será que soluções em tecnologia e mobilidade são as opções para empresas encontrarem os talentos necessários e aumentarem a competitividade?

De acordo com o International Business Report (IBR), produzido pela Grant Thornton, 40% dos líderes empresariais em todo o mundo citaram a falta de profissionais qualificados como uma restrição ao crescimento. Em muitos mercados, não há muito excesso de capacidade no local de trabalho. Economias estão se aproximando do pleno emprego e algumas carências de habilidades estão reaparecendo, assim como novas estão surgindo.

Fato é que o desemprego mundial caiu para 5,2% - o nível mais baixo observado em quase 40 anos – influenciado por salários mais baixos e pela “gig economy”, ou seja, a flexibilização do mercado de trabalho por meio de contratações sob demanda. Essa tendência é impulsionada por diversos fatores, incluindo o envelhecimento da população e o declínio de pessoas em faixa-etária apta ao mercado de trabalho.

Por outro lado, o acelerado avanço tecnológico coloca as empresas sob crescente pressão para adquirir as habilidades digitais necessárias para suportar desenvolvimentos como inteligência artificial (IA), automação de processos[IVB1]  e blockchain.

“Não são apenas papéis específicos da tecnologia. A capacidade de escrever e entender o código será mais importante em outras áreas, como já vemos no setor financeiro. Não creio que exista atualmente um único setor que não precise de mais talentos, mais especificamente em engenharia, desenvolvimento de software e ciência de dados", afirma Eric Nguyen, gerente sênior de práticas de IA da Raymond Chabot Grant Thornton, no Canadá.

A tecnologia pode diminuir a falta de qualificação profissional?

Ironicamente, a tecnologia é tanto uma causa quanto – pelo menos parcialmente – uma solução para a carência de competências. A alta demanda por habilidades tecnológicas é um sintoma do que a tecnologia pode fazer pelas empresas. À medida que essa demanda aumenta, os investimentos em inovação e novas soluções de negócios acompanham. Na Alemanha, por exemplo, as expectativas de investimento em tecnologia cresceram para 49% - um avanço de 5pp.

Para Michel Besner, gerente geral da Catallaxy – empresa subsidiária da Raymond Chabot Grant Thornton, fornecendo soluções de blockchain e suporte às empresas – “onde a tecnologia otimiza os processos simplificando as tarefas, a demanda por alguns tipos de trabalho desaparece”.

Outras tecnologias de automação (RPA) e machine learning também estão possibilitando oportunidades de escala que não necessariamente existiam antes. Assim, o impacto da escassez de mão de obra qualificada é limitado na maioria das funções de negócios, incluindo finanças, contabilidade, marketing e nos setores de manufatura e logística.

O benefício adicional é que, embora a automação e a tecnologia removam algumas das tarefas mais básicas, os funcionários existentes têm mais capacidade de agregar valor em áreas onde as máquinas não podem.

 

Automatizar processos decisórios otimiza performance de equipes

“A IA está ajudando as empresas a tomarem decisões e ampliarem as interações humanas com as máquinas nas operações diárias”, diz Eric. Ele trabalhou recentemente com a função de compras de uma empresa, cuja equipe de 20 analistas tomava centenas de decisões diariamente para determinar os níveis corretos de estoque da empresa.

“Com a integração de tecnologia e inteligência artificial, eles conseguiram prever o nível ideal de estoque para cada um de seus produtos. Eles automatizaram decisões como: qual fornecedor ligar, qual produto e quanto comprar. Essa automação reduziu a carga de trabalho da equipe e eles puderam trabalhar em outras tarefas mais complexas, como procurar novos produtos”, apontou o gerente.


Reagir às futuras tecnologias para antecipar necessidades

Para as organizações que consideram os processos digitais uma resposta à escassez de profissionais qualificados, a velocidade de implantação e o retorno do investimento são fundamentais. “O grande desafio é identificar soluções sustentáveis que rapidamente agreguem valor ao custo certo", afirma Emmanuelle Muller-Schrapp, sócia de finanças e TI da Grant Thornton França.

Mark O'Sullivan, sócio da Grant Thornton Reino Unido, diz que é possível adotar tecnologias avançadas de modo mais rápido e econômico, mas isso exige dos gerentes seniores mais sensibilidade em reagir às mudanças tecnológicas para não ser tarde demais. “As empresas também precisam trabalhar mais estreitamente com universidades e ajudá-las a entender quais habilidades precisam ser desenvolvidas”, aponta.

 

Recrutamento de novos talentos internacionais

Muitas empresas estão recorrendo cada vez mais a trabalhadores internacionais, onde as habilidades necessárias são difíceis de obter localmente.

A AURAY Sourcing, uma subsidiária da Raymond Chabot Grant Thornton, foi criada para fornecer uma solução completa para apoiar empresas canadenses em suas necessidades de recrutamento e mobilidade de funcionários, resolvendo assim sua escassez de mão de obra especializada. "A economia está indo a toda velocidade e precisamos ter uma produção crescente, portanto, mais trabalhadores", afirma Pierre Lapointe, vice-presidente da subsidiária.

No entanto, o recrutamento em um país diferente não é isento de desafios. Michael Monahan, diretor-gerente de serviços de capital humano da Grant Thornton EUA, diz que “se você está trabalhando para recrutar, reter, motivar e gerenciar equipes remotas, o desafio de fazê-lo quando fisicamente afastado da cultura e do país de origem é muito mais imenso.

Utilizando uma rede mundial de recrutadores, o AURAY Sourcing se concentra nas habilidades mais necessárias localmente e, portanto, aquelas cujos pedidos de visto têm a melhor chance de serem aprovados. Mas é um procedimento demorado, e embora haja um caminho rápido para algumas habilidades, pode levar até oito meses para uma empresa que não esteja familiarizada com o processo de recrutamento no exterior.


A gestão tradicional de talentos ainda é importante

Embora novas soluções possam ser procuradas para atender a demanda, os programas de aprendizado e desenvolvimento permanecem críticos para as estratégias, particularmente quando os funcionários reconhecem a necessidade de aprimoramentos.

Keely Woodley, chefe de capital humano da Grant Thornton UK, concorda que a educação é fundamental. "Fornecer treinamento para as pessoas que entram na força de trabalho, assim como para as que já estão lá, ajudará a solucionar a falta de qualificação no nível médio a alto – e esses são os tipos de empregos que realmente impulsionam uma economia."

Pessoas, processos e tecnologia são as três áreas que impulsionam uma organização. Se a sua empresa alinhar as estratégias de negócios em torno da tecnologia, as decisões serão mais assertivas. Aproveitar a tecnologia para desenvolver sua estratégia de recrutamento, para educar os funcionários existentes e encontrar novas fontes de talentos, ajudará a resolver a falta de profissionais qualificados.

Baixe o infográfico

Veja também