• Reforma tributária exigirá transição longa e segura, diz Odair Silva da Grant Thornton Brasil ao DCI Online

A transição de um sistema para outro será um dos maiores desafios na reforma tributária. Independente do novo modelo, as mudanças exigirão cautela em segurança jurídica, na simplificação dos tributos e nos repasses às três esferas de governo – União, estados, Distrito Federal e municípios.

Atualmente, duas propostas encabeçam as discussões do governo sobre uma reforma tributária. Uma delas é a do economista Bernard Appy, cuja principal sugestão é a criação de um único imposto sobre consumo, o Imposto sobre Valor Agregado (IVA). A outra, do secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, também menciona a junção de tributos, mas limita a simplificação, inicialmente, aos impostos federais.

De acordo com o líder de tributos da Grant Thornton Brasil, Odair Silva, apesar do caminho da simplificação ser positivo, o período de transição em termos de volume de trabalho é uma “má notícia”.

“A ideia é que esse processo dure 10 anos e, mesmo que esse período seja importante nos quesitos de aprendizado e cautela, o momento inicial, que é crítico, será de alta complexidade e custo, principalmente para as empresas, com dois sistemas acontecendo ao mesmo tempo”, avalia Silva.

 

Confira a matéria completa 'Reforma tributária exigirá transição longa e segura'