• Pesquisa da Grant Thornton apresenta panorama global da Governança Corporativa

78,7% dos empresários brasileiros acreditam ser muito importante relacionar a cultura de Governança Corporativa considerando o posicionamento dos clientes;

A Grant Thornton, quinta maior auditoria e consultoria do país realiza, pelo terceiro ano consecutivo, o IBR - International Business Report de Governança Corporativa. O tema desta edição é Beyond compliance – construindo uma cultura de Governança Corporativa forte e destaca as tendências globais e regionais apontadas pelas empresas que vêm desenvolvendo e ampliando essas práticas, além de fornecer um conjunto de recomendações para que as companhias desenvolvam efetivamente a Governança Corporativa. O levantamento contou com a participação de 2.500 executivos de 36 países.

Indicadores apontam que 50% das empresas em todo o mundo já têm a Governança Corporativa como um ítem permanente em sua agenda, enquanto 71% estabeleceram controles internos que abordam cultura e comportamento dos funcionários; 63% consideram a cultura do cliente e 57% consideram a do fornecedor. A Governança Corporativa nunca esteve tão em alta no mundo empresarial, mas é preciso definir o verdadeiro significado dessa prática, pois ela permeia diversos aspectos. Os conselhos de Governança garantem que as empresas, além de cumprirem as regras, precisam promover uma cultura autêntica que define a ética e os valores da própria empresa.

No Brasil, a Governança Corporativa já é uma realidade e vem avançando nos últimos anos principalmente devido a uma maior profissionalização das empresas. Entre as etapas citadas para impulsionar a cultura corporativa nas organizações, 78,7% acreditam ser muito importante relacionar a Governança considerando o posicionamento dos clientes; 77,3% acreditam que seja necessário estabelecer os controles internos que abordam a cultura e o comportamento dos funcionários e 76,1% dos entrevistados acreditam na importância de um alinhamento com o posicionamento de fornecedores.

“A Governança Corporativa avançou consideravelmente no Brasil na última década. As empresas têm desenvolvido atividades como sucessão familiar, reestruturação societária, revisão de processos e criação de comitês específicos (finanças, RH e compliance) em busca de maior transparência e com o objetivo de mitigar riscos. Essa transparência se transforma em um fastor positivo em processos de fusões e aquisições ou busca de parceiros”, destaca Luciano Bordon, líder de consultoria da Grant Thornton.

Quando questionado sobre os fatores que mais afetam a reputação das empresas brasileiras, os principais resultados mostram que, para 92% dos entrevistados a qualidade dos produtos e serviços é muito importante; 90,7% avaliam a importância de um bom atendimento ao cliente e 74,7% relatam o tratamento e relacionamento com empregados. “Esses indicadores reforçam a preocupação das companhias em fidelizar os clientes e aproximar os funcionários da realidade da empresa. É importante mostrar a importância deles para o crescimento e fortalecimento dos negócios”, destaca Bordon.

Governança na América Latina

Os conselhos da América Latina estão levando a sério o desafio da cultura. Três em cada quatro líderes empresariais pesquisados dizem que seus conselhos estão estabelecendo controles internos para abordar a Governança Corporativa, bem como considerando a cultura de seus clientes e fornecedores. Isso sugere uma abordagem levando em conta a conduta de seus funcionários e das partes interessadas.

Quando perguntado sobre os fatores que mais afetam a reputação de suas companhias, as empresas da região alcançam consenso com seus pares em todo o mundo. A qualidade dos produtos e serviços é citada como o fator mais importante. No entanto, as empresas latino-americanas também prestam muita atenção ao relacionamento com os funcionários. Oito em cada dez empresas pesquisadas reconhecem a importância de tratar corretamente com esse importantestakeholder. Em toda a região, 69% das empresas citam sua cultura como um fator importante; número superior ao da Argentina, com 56% e inferior aos 73% do Brasil.

Saiba como construir uma Governança sólida

De acordo com os resultados apresentados pela pesquisa, o estudo apresenta recomendações práticas e conselhos a serem considerados quando se trabalha com equipes de liderança para ter sucesso no desenvolvimento de sua cultura de Governança Corporativa.

Entre as principais sugestões, podemos elencar:

·        Realizar auditoria e análise;

·        Estabelecer um código claro de conduta;

·        Atrair governança para problemas comerciais;

·        Desenvolver um sólido relacionamento com lideranças empresariais;

·        Explorar maneiras de trazer representantres de níveis inferiores para aumentar a união da equipe;

·        Definir metas – fazer da cultura um objetivo corporativo viável;

·        Garantir alinhamento cultural com os principais stakeholders;

·        Foco no futuro como no presente;

·        Indicador de cultura em risco contínuo de governança;

Os outros estudos de Governança Corporativa foram Boards oh the future, em 2016, e The tone from the top, de 2015. O estudo completo pode ser acessado pelo link: Governança Corporativa

Sobre a Grant Thornton Brasil

A Grant Thornton é quinta maior empresa do ramo de auditoria, consultoria e outsourcing no Brasil. Firma-membro da Grant Thornton International no País, a empresa conta com uma equipe de especialistas, que possui muita experiência no mercado. A Grant Thornton Brasil trabalha com as mais modernas metodologias, utilizando ferramentas desenvolvidas pela organização globalmente.

Informações para a Imprensa  
Textual Comunicação 

Diogo Cruz (Atendimento) – diogocruz@textual.com.br (11) 5180-6931
Renan Albertini (Gerência) – 
renanalbertini@textual.com.br (11) 5180-6927